Pastor tenta imitar milagre de Cristo e é comido por crocodilos

Pastor prometeu aos fiéis que conseguiria caminhar sobre as águas, mas as coisas correram da pior maneira…

Um pastor prometeu aos fiéis que conseguiria caminhar sobre as águas, mas as coisas correram da pior maneira. Tudo aconteceu numa igreja do Zimbabwe, quando o sacerdote tentou provar aos fiéis que conseguiria imitar um milagre de Cristo.

LEIA MAIS: Mulher tentou alimentar tubarão e acabou arrastada pelo animal [vídeo]

Durante as cerimónias de domingo, o pastor Jonathan Mthethwa garantiu às pessoas que conseguiria caminhar sobre as águas.

Preparação do pastor para o milagre

Depois de uma preparação que durou uma semana, com jejuns e orações, o pastor mostrou-se preparado para cumprir o prometido.

LEIA MAIS: Jovem de 13 anos fica sem pernas no Metropolitano

Foi então que entrou para o rio e, de imediato, foi comido por três enormes crocodilos, perante a perplexidade dos fiéis que observavam. Segundo as testemunhas, a única coisa que sobrou do pastor foi um par de sandálias.

TAMBÉM LHE PODE INTERESSAR
Casa Pia – E Agora? | Grande Reportagem: Megaprocesso ou erro tremendo? [vídeo]

E se o Processo de pedofilia na Casa Pia tivesse sido um erro? ‘Arrependidos’ desmentem depoimentos, afirmam terem sido pagos para mentir e revelam ameaças de morte.

«Pai, és inocente de tudo quanto te acusam?» [Marta Cruz, filha de Carlos Cruz]
Na passada terça-feira, 26 de junho, o Tribunal Europeu dos Direitos do Homem (TEDH) deu em parte razão ao apresentador Carlos Cruz. Para os juízes daquela instância supranacional, a aplicação da Justiça no processo Casa Pia falhou.

O TEDH concluiu que o Tribunal da Relação de Lisboa devia ter aceitado as novas provas apresentadas por Carlos Cruz no recurso. O que não aconteceu.

«Estão a lançar junto dos miúdos nomes falsos, com algumas ‘notazitas’ à mistura. Não são precisas muitas», Catalina Pestana

Entre estas novas provas estavam, por exemplo, a admissão de Teresa Costa Macedo de que mentiu no ‘lançamento’ do caso Casa Pia. Foi, aliás, condenada por «crimes de falsidade de testemunho no julgamento do processo Casa Pia».

A antiga secretária de Estado para a Família entre 1980 e 1983, com a tutela da maior instituição de acolhimento do País, não tinha identificado Carlos Cruz , como dissera, em fotografias de relatórios que guardara desde aqueles anos da década de 1980.

Veja esta grande reportagem, no vídeo que está a levantar polémica junto de toda a sociedade, AQUI.


RELACIONADOS