Matou, esquartejou e viveu 15 meses com o corpo da namorada em casa

Foi detido o homem que matou e desmembrou a namorada. Autoridades crêem que viveu com o corpo da vítima 15 meses em casa. Caso está a aterrorizar a Espanha.

Manuel foi detido porque alegadamente matou e desmembrou a namorada, de 22 anos. Depois, guardou o corpo num congelador. As autoridades estão convencidas de que viveu com o corpo da vítima em casa durante 15 meses. Espanha está aterrorizada com o caso. O homem, de 42 anos, identificado como Manuel, foi detido na madrugada desta sexta-feira. É o presumível homicida da namorada, Daría, cujo corpo desmembrou em cinco partes. Colocou-as numa arca congeladora, em casa, e, ao longo de quase ano e meio, nem vizinhos nem o senhorio tiveram a mínima suspeita do que aquela casa escondia.

Desaparecimento da mulher que Manuel matou durava há 15 meses

A investigação ao desaparecimento de Daría começou a 30 de dezembro quando uma mulher denunciou o desaparecimento da filha. Daría era russa e tinha sido adotada por uma família espanhola. Após o alerta, a Polícia iniciou as investigações. A descoberta de que uma suposta infidelidade tinha abalado a relação foi o fio para novas pistas, com Manuel como principal suspeito. O homem, porém, negou sempre qualquer tipo de envolvimento no caso. Na quinta-feira, 8 de fevereiro, os polícias obtiveram o mandato que lhes permitiu, finalmente, fazer buscas na casa do suspeito. As autoridades viriam a deparar-se com uma arca congeladora na habitação, situada em Alcalá de Henares, Madrid. Ao abri-la, encontraram o corpo esquartejado de Daría. A Polícia crê que o homicida terá vivido com o cadáver da namorada em casa desde o final de 2017, altura em que o crime terá ocorrido.

LEIA MAIS

Leonor Cipriano: «Vou à procura da minha filha, hei-de encontrá-la»

Previsão do tempo para domingo, 10 de fevereiro de 2019

Engravidou a mulher e a sogra ao mesmo tempo

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS