Canibal transforma-se em celebridade no Japão [fotos]

Sagawa, que justifica os crimes como sendo «atos de amor», vendeu milhares de livros.

Canibal transforma-se em celebridade no Japão [fotos]

Sagawa, que justifica os crimes como sendo «atos de amor», vendeu milhares de livros.

Um canibal transformou-se numa celebridade no Japão. Sagawa, que justificou os crimes cometidos como sendo «atos de amor», vendeu milhares de livros. Issei Sagawa é presença assídua em programas de televisão e já escreveu livros relatando, com pormenor, cada crime que cometeu. Com Cartas a Sagawa o japonês vendeu 300 mil exemplares. O livro de memórias Na Névoa ficou-se pelos 200 mil.

LEIA MAIS: Casados À Primeira Vista | Ana avisa Hugo: «Depois do sexo, adoro miminhos» [vídeo]

Com apenas 1,50 metros e 40 quilos, o canibal não oferecia, aparentemente, risco para as suas vítimas. Foi o que pensou Renée, jovem holandesa com a qual o criminoso fez amizade quando viveu em Paris. Issei, então com 25 anos, deu um tiro mortal à jovem, que teve morte imediata. «Tirei-lhe a roupa e fiz amor com ela. Depois, cortei-a em pedaços e não resisti à tentação de comer uns bocados. Armazenei partes do corpo no frigorífico e temperei-as com sal e pimenta. O sabor é tão agradável. Desfazia-se na minha boca, parecia que estava a comer sushi», contou à Polícia quando foi detido.

Canibal foi condenado a apenas 2 anos de prisão por ser «inimputável»

Canibalismo é «um ato de amor». «Ao comer a Renée, consigo tê-la dentro de mim para sempre»

Sagawa foi condenado a apenas dois anos de cadeia por ter sido considerado inimputável. Já em liberdade e depois de extraditado para o Japão, justificou o canibalismo como sendo «um ato de amor». «Comendo a Renée, conseguiria tê-la dentro de mim para sempre. Amava-a profundamente», afirmou.

LEIA MAIS: Artista morre durante a gravação de videoclipe

As centenas de entrevistas que deu e os livros que escreveu levaram-no ao estrelato e passou a ser denominado, no Japão, como «o padrinho do canibalismo». Já participou em anúncios publicitários e arrecadou uma pequena fortuna. Quando regressou ao seu país, as autoridades japonesas consideraram que padecia de «doença psiquiátrica grave». Contudo, após mais de um ano internado num hospital, os médicos concluíam que não tinha qualquer transtorno mental. Foi, mesmo assim, posto em liberdade.

Sagawa dedica-se à escrita e à pintura e participa em filmes pornográficos

Além de escritor e pintor, Sagawa também participa em filmes pornográficos

Apesar da sua popularidade, muitos temem que volte a cometer crimes. Issei Sagawa vive em Tóquio com outra identidade. Dedica-se à escrita, à pintura (quadros de mulheres parecidas com Renée) e participa em filmes pornográficos.

LEIA MAIS: Rosa Grilo não foi sequestrada e é «apanhada» no supermercado de pijama

Impala Instagram


RELACIONADOS