Bebé separado da mãe pela Polícia dos EUA não a reconhece 4 meses depois [vídeo]

Bebé separado da mãe pela polícia dos EUA não reconhece a progenitora. Após quatro meses de separação, os laços entre mãe e filho foram cortados.

Bebé separado da mãe pela Polícia dos EUA não a reconhece 4 meses depois [vídeo]

Bebé separado da mãe pela polícia dos EUA não reconhece a progenitora. Após quatro meses de separação, os laços entre mãe e filho foram cortados.

Um bebé separado da mãe durante quatro meses pela polícia dos EUA não a reconheceu. Após este período de separação, os laços entre mãe e filho foram cortados. A política de imigração adotada pelo presidente americano, Donald Trump, levou à separação de muitas famílias. Em alguns casos, filhos menores foram arrancados dos braços dos pais.

LEIA MAIS: Mulher agride filha de 3 anos violentamente por não lhe devolver o tablet [vídeo]

Imagens que demonstram o sofrimento dos estrangeiros correm o mundo. Reyes Mejía, natal das Honduras, foi uma das muitas mães que passou por esse doloroso processo. Após uma longa espera de vários meses, voltou a reunir-se com o filho, mas o momento de alegria rapidamente se transformou em angústia. O menino, de três anos, não a reconheceu e negou-lhe o tão desejado abraço.

A cena foi documentada em fotografias e vídeos e está a causar comoção e revolta no Facebook, no Twitter e no Instagram, redes sociais onde este momento está a ser amplamente partilhado e a suscitar comentários de indignaçaão. A mãe entra em desespero e chora com a indiferença do filho. Nas imagens partilhadas pela organização American Civil Liberties Union (ACLU), pode ouvir-se como Reyes Mejía tenta apelar às memórias do filho. «Meu amor, eu sou a tua mãe. Por favor, meu amor, olha para mim.»

LEIA MAIS: Turistas ingleses filmados nus em fonte pública [vídeo]

Reyes Mejía e o marido, Ever, fugiram das Honduras e procuraram asilo nos Estados Unidos. O pai viajou com o filho Sammy. A mãe mudou-se para a América pouco depois, levando a filha mais velha. No dia da detenção, as autoridades policiais deixaram que ficasse com a menina enquanto assinava papéis, mas quando regressou o filho já tinha sido enviado para outro local.

Sammy foi separado do pai à força e enviado para um centro de refugiados, no Estado do Michigan. «O meu filho está traumatizado», afirmou a mãe à comunicação social. Segundo a ACLU, até ao passado dia 23 de agosto, 528 crianças permaneciam sob custódia do governo dos EUA. Mais de 300 pais foram deportados para o país de origem e ainda não se reuniram com os filhos.

O bebé separado ignora a mãe, que não via há 4 meses

LEIA MAIS: Bateu em namorado para que parasse de ressonar, mas afinal eram os seus últimos suspiros

Impala Instagram


RELACIONADOS