Portugueses acusados de violação em Gijón libertados

Os dois jovens portugueses detidos em Gijón, Espanha, por suspeita de violação de uma jovem vão poder sair em liberdade mediante o pagamento de uma caução.

Portugueses acusados de violação em Gijón libertados

Portugueses acusados de violação em Gijón libertados

Os dois jovens portugueses detidos em Gijón, Espanha, por suspeita de violação de uma jovem vão poder sair em liberdade mediante o pagamento de uma caução.

Os dois jovens portugueses detidos em Gijón, Espanha, por suspeita de violação de uma jovem vão poder sair em liberdade mediante o pagamento de uma caução de cinco mil euros. De acordo com o advogado dos jovens, Germán Inclána, Audiência Provincial de Oviedo aceitou o recurso da defesa e decidiu que os jovens poderão aguardar o desenrolar do processo em liberdade consoante o pagamento de um montante de cinco mil euros. Além disso, os jovens ficaram também sem o passaporte, sendo ainda obrigados a ficar longe das denunciantes.

Foi há precisamente dois meses, em 24 de julho, que quatro jovens portugueses foram detidos por suspeita de violação. As vítimas seriam duas mulheres de 23 e 24 anos. As duas mulheres, uma asturiana e outra basca, dizem ter encontrado um homem num bar e seguido com ele para a pensão onde estava hospedado para um encontro sexual. No caminho, terão apanhado um segundo homem e, ao chegar à pensão, estavam lá outros dois. Todos eles as terão obrigado a manter relações sexuais. Os acusados sempre rejeitaram as acusações. Dizem que mantiveram relações com as raparigas mas que foi tudo consentido e não as forçaram a nada.

Entretanto, dois dos acusados receberam ordem de libertação provisória e regressaram a casa no distrito de Braga. Os outros dois permaneceram em prisão preventiva em Espanha desde o dia 26 de julho. A defesa apresentou um primeiro recurso para a libertação dos portugueses mas este foi negado. A juíza considerou que existia perigo de fuga. O advogado Germán Inclán recorreu para um tribunal superior que agora lhe deu razão.

LEIA AINDA
Caso Gijón. Portugueses dizem que tomaram pequeno-almoço com as raparigas

Impala Instagram


RELACIONADOS