Mulher que matou filho autista condenada a 10 anos de prisão

Fátima Martinho atirou o filho autista a um poço de uma propriedade agrícola e desceu para o afogar. Na tarde desta quinta-feira foi condenada a dez anos de prisão.

Mulher que matou filho autista condenada a 10 anos de prisão

Mulher que matou filho autista condenada a 10 anos de prisão

Fátima Martinho atirou o filho autista a um poço de uma propriedade agrícola e desceu para o afogar. Na tarde desta quinta-feira foi condenada a dez anos de prisão.

Fátima Martinho, a mulher que, no verão do ano passado, atirou o filho autista a um poço de uma propriedade agrícola e desceu para o afogar, na aldeia de Cabanelas, em Mirandela, foi esta quarta-feira condenada a dez anos de prisão. O crime ocorreu em julho de 2020, altura em que a mulher de 52 anos deu um potente medicamento antipsicótico ao filho, Eduardo José, de 17 anos, antes de o empurrar para um poço. O relatório de autópsia, feita nos dias seguintes, viria a atribuir a morte à submersão da vítima na água, mas associada a intoxicação medicamentosa.

Os agentes da autoridade que tomaram conta da ocorrência confirmaram que a homicida ligou para a GNR de Mirandela a confessar o crime. “Venham depressa a Cabanelas que eu matei o meu filho, afoguei-o num poço”, admitiu. Logo após ter descido ao poço para afogar o jovem, ter-se-á tentado suicidar no mesmo poço. A suspeita não terá tido o mesmo fim por ter sido salva por um familiar, a quem terá telefonado, a explicar pormenores de como pretendia que os funerais – o dela e o do filho – fossem organizados.

Familiar retirou mulher do poço a tempo, mas Eduardo já estaria morto

Após o alegado telefonema, o familiar avisou as autoridades e, antes da chegada da GNR e dos bombeiros de Mirandela, dirigiu-se à propriedade onde se encontra o poço, de onde retirou a mulher, não tendo ido a tempo de salvar Eduardo. O óbito foi declarado pela delegada de Saúde do distrito de Bragança e o corpo foi levado para o Instituto de Medicina Legal de Mirandela para autópsia, ainda sem resultados anunciados.

LEIA MAIS
Funcionária de instituição viola doente com paralisia cerebral

Impala Instagram


RELACIONADOS