A esperança é a última a morrer. Bebé sobrevive depois de estar 58 horas num poço

Depois da história de Julen, o bebé que caiu num poço em Málaga, Espanha, conheça a história de Jessica McClure.

A esperança é a última a morrer. Bebé sobrevive depois de estar 58 horas num poço

A esperança é a última a morrer. Bebé sobrevive depois de estar 58 horas num poço

Depois da história de Julen, o bebé que caiu num poço em Málaga, Espanha, conheça a história de Jessica McClure.

A última semana tem sido marcada pelo caso da criança que caiu, no passado domingo, dia 13 de janeiro, num poço de 100 metros de profundidade, em Málaga, Espanha. As operações de resgate duram desde então e já passaram por várias fases. As autoridades dizem manter a esperança de que Julen está vivo, admite Bernardo Moltó, porta-voz da Guardia Civil: «Primamos sempre pela segurança do Julen. Trabalhamos sempre com a ideia de que o Julen está vivo».

LEIA MAIS: Pai de criança que caiu no poço: «Temos a esperança de que não está morto, mas nós estamos»

Jessica McClure é exemplo disso. Com apenas 18 meses, ‘baby Jessica’, como ficou conhecida, caiu num buraco no Texas, nos Estados Unidos, em outubro de 1987. 58 horas depois, foi retirada com vida. As operações de resgate foram transmitidas em direto para todo o mundo pela ‘CNN’.

 

Como tudo aconteceu

Jessica estava a brincar com outras crianças num quintal da tia com a supervisão da mãe, na altura com 17 anos. O telefone de casa tocou e a progenitora entrou para dentro de casa para atender a chamada. Segundos depois foi alertada pelos gritos das crianças que diziam que Jessica tinha caído por um buraco, um poço com apenas 20 centímetros de diâmetro.

Quando chegaram ao local, as autoridades acreditavam que o resgate seria efetuado em pouco tempo. O que acabou por não se revelar. A constituição do terreno acabou por dificultar as operações. Jessica estava rodeada de pedra e não de terra, como inicialmente se pensou.

LEIA MAIS: Pai de Julen viu o filho cair no poço mas já não o conseguiu agarrar

À superfície não se ouvia qualquer som e temia-se o pior. A escavação de um buraco paralelo veio a revelar-se essencial para o sucesso deste resgate. Quando ficou pronto e se começou a fazer a ponte para o primeiro, onde estava a bebé, ouviram-se gemidos. As equipas de socorro redobraram esforços.

58 horas depois da queda, o paramédico surge à superfície com Jessica ao colo com vida. Estava coberta de lama, desidratada e tinha uma infeção no pé, que a obrigou a ser submetida a 15 cirurgias e a perder um dos dedos devido a gangrena.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Time Rewind® (@timerewind) a

 

Paramédico que salvou Jessica suicida-se

O paramédico Robert O’Donnell tornou-se num herói nacional ao conseguir retirar a menina com vida. Com as proporções e o mediatismo que o caso alcançou, Robert terá ficado com stress pós-traumático. Em 1995, oito anos depois do resgate, o médico acabou por se suicidar.

O The New York Times noticiou a morte do médico e afirma que o salto para a fama e o anonimato num curto espaço de tempo acabou por ser fatal.

LEIA MAIS: Equipas escavam túnel lateral para chegar ao menino que caiu num poço em Málaga

«O mundo inteiro assistiu e ele foi, durante algum tempo, o centro não apenas do seu pequeno universo, mas também do universo real e conhecido. Houve um desfile, inúmeras aparições na televisão, uma carta do presidente, um aperto de mão do vice-presidente e um filme feito para a televisão. Mas, as câmaras foram embora, a atenção do mundo mudou e ele ficou sozinho.»

«Foi o melhor momento da vida de Robert e a pior coisa que lhe aconteceu», afirmou a mãe, na altura ao The New York Times.

O’Donnell não foi o único que não soube lidar com a situação. Segundo a mesma publicação, outras pessoas que também ajudaram no resgate não souberam lidar com a exposição e acabaram por ‘cair’ no alcoolismo, problemas com a lei e divórcios.

Pessoas doam dinheiro à família

As televisões acompanharam e transmitiram em direto o caso para todo o mundo. Comovidos com a história, várias pessoas começaram a doar dinheiro à família da bebé. Ao todo angariaram 1 milhão de dólares, aos quais Jessica teve acesso quando completou 25 anos.

A família chegou a receber um telefonema do então presidente dos Estados Unidos, Ronald Reagan, e a visita no hospital do vice-presidente dos Estados Unidos na época, George H. W. Bush, e de sua mulher.

O resgate de Baby Jessica deu um filme

A história da ‘baby Jessica’ permanece até aos dias de hoje. Em 1989 foi representada no filme «Everybody’s Baby: The Rescue de Jessica McClure», da ABC. O filme indiano «Malootty», de 1990, também foi baseado no incidente. As imagens do salvamento também foram utilizadas no videoclipe de Michael Jackson, «Man In The Mirror», e no filme «V de Vingança».

Atualmente, Jessica tem 32 anos e é professora assistente de educação especial numa escola primária, em Midland, Texas. É casa e tem dois filhos. Com o dinheiro que recebeu de doações, na altura do resgate, Jessica comprou a casa onde vive hoje em dia com a família.

LEIA MAIS: Encontrados cabelos dentro do poço. Amostras de ADN confirmam que pertence a Julen

Texto: Jéssica dos Santos - Conteúdos Digitais

Impala Instagram


RELACIONADOS