Acariciou cadáver de mulher e agora enfrenta pena de prisão

Polícia desligou a câmara corporal, mas o sistema continuou a gravar.

Acariciou cadáver de mulher e agora enfrenta pena de prisão

Acariciou cadáver de mulher e agora enfrenta pena de prisão

Polícia desligou a câmara corporal, mas o sistema continuou a gravar.

Um polícia de Los Angeles, na Califórnia, poderá incorrer numa pena de prisão depois de ter acariciado o cadáver de uma mulher no local do crime. De acordo com a imprensa norte-americana, que cita o comunicado da procuradoria-geral da Los Angeles, David Rojas, de 27 anos, incorre numa pena até até três anos de prisão se for considerado culpado de contacto sexual com restos mortais, sem autorização.

LEIA DEPOIS
Previsão do tempo para esta quarta-feira, 18 de dezembro

Polícia ficou sozinho com o cadáver

O agente foi colocado de baixa depois de as imagens de videovigilância da sua câmara corporal terem mostrado David Rojas a acariciar o peito da mulher morta. O caso aconteceu quando o polícia e o seu colega foram chamados a investigar a morte de uma morte numa zona residencial. Quando já estavam no local e depois de terem confirmado a morte, o colega de Rojas saiu para o carro-patrulha e foi nessa altura que o agente desligou a câmara corporal por segundos.

David Rojas esqueceu-se que a câmara tem um retardador de dois minutos e continua a gravar imagem e áudio mesmo depois de ser desligada. As imagens da câmara mostram, alegadamente, o agente a levantar o lençol que estava sobre o corpo antes de lhe acariciar o peito. O crime foi descoberto depois de uma inspeção aleatória feita às gravações das câmaras corporais.

LEIA MAIS
Camião despista-se e espalha mais de 17 toneladas de M&M’s na estrada

 

Impala Instagram


RELACIONADOS