Perde ovários, útero e dedos dos pés após colocar um DIU [vídeo]

Começou a sentir dores fortes três anos depois de colocar um DIU (dispositivo intrauterino). Sofreu uma infeção grave e perdeu os ovários e o útero.

Perde ovários, útero e dedos dos pés após colocar um DIU [vídeo]

Começou a sentir dores fortes três anos depois de colocar um DIU (dispositivo intrauterino). Sofreu uma infeção grave e perdeu os ovários e o útero.

Tanai Smith, de 25 anos, natural de Maryland, EUA, decidiu colocar um DIU, um dispositivo anticoncetivo, seis semanas após o nascimento da filha, em 2015. Três anos depois da sua colocação, começou a sentir dores de estômago muito fortes. Foi ao hospital e o médico não conseguiu detetar o dispositivo. Fez vários exames, mas o DIU tinha «desaparecido». Depois de vários dias sob observação e para fazer exames mais profundos, o objeto foi encontrado no fígado da jovem. Devido a uma complicação rara, o DIU deslocou-se para o estômago. «Disseram-me que tinham de me operar porque não tinham como o tirar sem ser com uma cirurgia. O ginecologista garantiu-me que me cortaram na zona do umbigo e que usariam um endoscópio para tirar o DIU», recorda Taini Smith.

Aparelho DIU desfez-se em pedaços e uma parte alojou-se no fígado

Quando acordou da cirurgia, foi informada de que o aparelho se tinha desfeito em pedaços e que uma parte se tinha alojado no fígado. Três dias depois da intervenção, a jovem recebeu alta e regressou à sua rotina. Algo que acabou por durar pouco tempo. «Estava a trabalhar e senti dores dilacerantes. Uma amiga levou-me às urgências e, a partir daí, a minha vida mudou», relata a mulher. Tanai Smith tinha uma grave hemorragia interna e correu risco de vida. «Estava a sangrar internamente. Foi-me dito que os meus ovários estavam negros e que tinham que me extrair o útero. Depois, sofri um choque sético. Estava convencida de que ia morrer. Foi Deus quem me manteve viva», conta a jovem.

Vida da mulher mudou radicalmente e levou-a a «uma depressão grave»

Tanai Smith sofreu ainda com a amputação dos dedos dos dois pés. A vida da mulher mudou radicalmente e levou-a a «uma depressão grave». «Os primeiros meses foram difíceis. O mais complicado foi saber que não poderia ter mais filhos e que a minha menina não iria ter irmãos. Tive de aprender a andar e a viver com a menopausa, com todas as alterações hormonais» que essa condição implica. «Mas decidi contar a minha história para servir de alerta a outras mulheres. Se colocarem um DIU, não fiquem anos sem saber se está tudo bem. Façam consultas de rotina», conclui. Foi criada uma página no site Go Fund Me, a pedir a ajuda de todos para fazer face às despesas médica. Até à data, foram angariados cerca de 4.250 euros. O objetivo dos familiares e amigos de Tanai Smith é chegar aos 10 mil, de forma a pagar a totalidade da despesa hospitalar.

LEIA MAIS

Previsão do tempo para quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

Bebé raptada pelo pai que matou sogra encontrada morta num carro no Seixal

Mulher suspeita de ter começado incêndio em prédio de Paris tem «problemas psiquiátricos»

Impala Instagram


RELACIONADOS