Dona do BMW de Cabrita ainda paga prestação de 500 euros

Empresa de Guimarães – detida pela sogra do traficante – paga todos os meses perto de 500 euros à sociedade financeira que concedeu crédito de 40 mil euros.

Dona do BMW de Cabrita ainda paga prestação de 500 euros

Dona do BMW de Cabrita ainda paga prestação de 500 euros

Empresa de Guimarães – detida pela sogra do traficante – paga todos os meses perto de 500 euros à sociedade financeira que concedeu crédito de 40 mil euros.

A empresa de Guimarães dona do carro apreendido utilizado oficialmente pelo ministro de Eduardo Cabrita, cujo motorista atropelou mortalmente Nuno Santos, de 43 anos, continua a pagar todos os meses a prestação do BMW. São perto de 500 euros que esta sociedade – que é detida pela sogra do cadastro a quem o veículo foi arrestado – entrega “religiosa e pontualmente” à sociedade financeira que concedeu o crédito de cerca de 40 mil euros para a aquisição do veículo.

Pedro Miguel Carvalho, advogado da sociedade, garante que a cliente não vai desistir que a Justiça lhe restitua o veículo e pague a indemnização. “Vamos continuar a lutar pela restituição do veículo, cuja prestação a minha cliente continua a pagar religiosa e pontualmente, todos os meses, e do qual não pode usufruir”, vinca o advogado de Guimarães, sublinhado o “incómodo emocional” causado pela tragédia que envolveu o topo de gama.

O carro que transportava o ministro da Administração Interna foi arrestado pelo Tribunal de Penafiel a um traficante de droga de Guimarães. Para o advogado, um arresto “ilegal”, já que nunca se provou a utilização do veículo na prática de crimes. Tal como escreve o Correio da Manhã, foi o antigo dono que reconheceu o carro, após o trágico atropelamento na A6. A empresa da sogra do traficante prepara-se agora para exigir ao MAI a restituição do topo de gama devidamente reparado e indemnização devida pelos danos e desvalorização.

LEIA AINDA
GNR registou mais de 1.500 casos de burlas a idosos em 2020
Covid-19: Duas mulher infetadas detidas por violarem confinamento
Duas mulheres de 30 e 33 anos foram detidas anteontem pela GNR por violarem o confinamento obrigatório a que estavam sujeitas, no âmbito da pandemia da covid-19, no concelho de Albufeira. (… continue a ler aqui)

Impala Instagram


RELACIONADOS