Aceita engravidar do cunhado e torna-se mãe e tia ao mesmo tempo

Harper nasceu 15 dias antes da data prevista e quem a trouxe ao mundo, além de mãe biológica, também é tia dela.

Aceita engravidar do cunhado e torna-se mãe e tia ao mesmo tempo

Harper nasceu 15 dias antes da data prevista e quem a trouxe ao mundo, além de mãe biológica, também é tia dela.

Chapelle Cooper, de 27 anos, vive em Dalton, nos Estados Unidos da América, e concordou engravidar do cunhado para dar ao irmão e ao companheiro a família que sempre sonharam. O processo, após a decisão, correu normalmente, com a fertilização do óvulo in vitro – com esperma do cunhado – a ser o primeiro passo.

O irmão de Chapelle, Scott Stephenson, e o marido, Michael Smith, estão satisfeitos felizes por terem realizado o sonho da paternidade. O casal queria ter um filho e a irmã, que era já mãe de uma menina, resolveu ajudá-los. Além de moroso e complicado, o custo envolvido na contratação de uma barriga de aluguer ou no processo de adoção era demasiado elevado para as possibilidades do casal.

LEIA DEPOIS
Covid-19: Apoio aos pais é calculado com base no salário de dezembro

Aceitou engravidar e o irmão e o cunhado agradecem «a força, o coração e a coragem de Chapelle»

“Estamos encantados com a força, o coração e a coragem de Chapelle. Jamais poderemos agradecer-lhe o suficiente por trazer-nos a nossa filha”, Harper, diz o casal. Chapelle sempre se sentiu “motivada para ajudar” o irmão e o parceiro. Michael e Scott conheceram-se cinco anos antes de se tornarem pais, em 2016, e, desde então, mantinham um relacionamento amoroso sólido, mas com o desejo comum de constituírem família por completar-lhes a felicidade.

Aceita engravidar do cunhado e torna-se mãe e tia ao mesmo tempo
Scott confessou-se “confiante nos cuidados” que a irmã daria à bebé durante a gravidez e tentou intervir o mínimo possível

Quando começaram a considerar a opção de adotar uma criança, a oferta de Chapelle acabou por alterar tudo. Finalmente tinham encontrado um método para se tornarem pais de forma segura e sem custos incomportáveis. Scott confessou-se “confiante nos cuidados” que a irmã daria à bebé durante a gravidez e tentou intervir o mínimo possível.

Bebé vive com os pais, mas a mãe – e tia – «terá sempre um papel muito importante na educação dela»

“Não quisemos controlar a dieta dela nem dizer-lhe o que podia e não podia fazer” durante a gestação, explicam. “Mas, claro, fomos muito protetores com ela durante a gravidez”, diz Scott. Harper vive com os pais, mas a mãe – e tia – “terá sempre um papel muito importante na educação dela”. Chapelle “será tia e grande amiga da nossa filha e irá amá-la como a uma filha”, que, na realidade, é.

LEIA AGORA
Casal de idosos vence covid-19 e deixa hospital de mãos dadas

Impala Instagram


RELACIONADOS