Cão morre em compartimento de bagagem num voo da United Airlines

Um cão, de raça Bulldog Francês, morreu num voo da companhia aérea United Airlines na sequência de uma ordem da assistente de bordo

Cão morre em compartimento de bagagem num voo da United Airlines

Um cão, de raça Bulldog Francês, morreu num voo da companhia aérea United Airlines na sequência de uma ordem da assistente de bordo

Um cão, de raça bulldog francês, morreu esta segunda-feira num voo da companhia aérea United Airlines. O animal foi posto no compartimento de bagagem do avião por ordem da assistente de bordo que insistiu para que assim fosse.

DEPOIS LEIA

Previsão do tempo para terça-feira, 7 de maio

De acordo com uma passageira do voo, June Lara, uma mulher viajava com as duas filhas, uma com cerca de oito anos e a irmã bebé, e com o seu animal de estimação colocado numa transportadora de animais aprovada pela Administração de Segurança nos Transportes. Apesar da política da companhia afirmar que estas transportadoras de animais devem permanecer sempre por baixo do assento dos passageiros, uma assistente de bordo terá obrigado a mulher a colocar o seu animal no compartimento de bagagem.

«Eles insistiram que o cão ficasse fechado por três horas sem qualquer tipo de corrente de ar», disse a passageira do voo que denunciou o caso no facebook


A assistente assegurou a segurança do animal por isso a mulher concordou. De acordo com a passageira Maggie Gremminger, também passageira do voo, o cão latiu durante a viagem mas quando o avião aterrou em Nova Iorque ele estava em silêncio. A família chamou-o pelo nome mas o animal não reagiu.

June Lara escreveu: «Eu segurei o seu bebé quando a mãe tentou ressuscitar seu cachorro de dez meses. Eu chorei com eles três minutos depois enquanto ela soluçava sob o corpo do animal sem vida. O meu coração partiu-se como o delas quando eu percebi que ele tinha morrido». Entretanto a companhia aérea já veio assumir a responsabilidade do erro trágico. A United Airlines refere-se ao acidente como «um acidente trágico que nunca deveria ter ocorrido, já que os animais nunca devem ser colocados no compartimento de bagagem».

Assistente alegou que a transportadora do animal estava obstruir parcialmente o corredor

De acordo com o porta-voz da companhia, Charles Hobart, a assistente alegou que a transportadora do animal estava obstruir parcialmente o corredor e por isso insistiu que o animal fosse colocado no compartimento de bagagem. O porta-voz referiu ainda que todo o dinheiro gasto na viagem, em bilhetes e na taxa à parte pelo transporte do animal, foi devolvido. Esta é a companhia aérea que registou mais acidentes semelhantes com animais. Em 2017 morreram 18 animais em voos da United Airlines. Nas outras companhias todas foram registados seis casos.

LEIA MAIS

Aproveitam ataque cardíaco de empregado para assaltarem bomba de gasolina [vídeo]

Criança é esmagada por padrasto enquanto mãe pede para que filho se cale

Intestinos de mulher desprendem-se após violação em grupo

Impala Instagram


RELACIONADOS