Vírus: Macau cria medidas de apoio económico e funcionários públicos trabalham em casa

O Governo de Macau anunciou hoje medidas de apoio económico à população para atenuar o impacto do novo coronavírus e definiu que os trabalhadores da função pública não urgentes devem ficar em casa até 07 de fevereiro.

Vírus: Macau cria medidas de apoio económico e funcionários públicos trabalham em casa

Vírus: Macau cria medidas de apoio económico e funcionários públicos trabalham em casa

O Governo de Macau anunciou hoje medidas de apoio económico à população para atenuar o impacto do novo coronavírus e definiu que os trabalhadores da função pública não urgentes devem ficar em casa até 07 de fevereiro.

Até ao meio-dia de hoje, as autoridades não identificaram mais casos de infeção, fora os sete atuais já registados no território, todos importados, mas não excluiriam “a possibilidade de existirem mais casos em Macau”.

“Aqueles que não precisam de se deslocar ao trabalho devem ficar em casa”, afirmou a secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, em conferência de imprensa, Ao Ieong U.

A medida, que vai de 03 a 07 de fevereiro, abrange todos os funcionários públicos que não sejam de necessidade básica e que não sejam urgentes.

Na terça-feira, o Governo de Macau tinha prolongado até hoje “os feriados do ano novo chinês” para a função pública para diminuir o risco de contágio do novo coronavírus chinês. As autoridades esperam ainda que as empresas privadas acompanhem esta medida e que os seus funcionários possam trabalhar por casa.

Na mesma conferência de hoje, o secretário para a Economia e Finanças, Lei Wai Nong, anunciou a isenção de pagamento durante três meses de todos os espaços arrendados pelo Governo de Macau a particulares.

As autoridades apelaram ainda a que os privados ajustem as rendas.

Lei Wai Nong disse ainda que o Governo vai antecipar o cheque pecuniário anual que a população recebe.

O cheque, que costuma ser dado em “junho, julho, vai ser dado a partir de abril”, anunciou. O valor total desta ajuda pecuniária é de 7,1 mil milhões de patacas (cerca de 750 milhões de euros), acrescentou.

O Governo voltou ainda a apelar que “os cidadãos evitem multidões e concentrações de pessoas”.

Por essa razão, as escolas vão continuar encerradas até ordem em contrário, acrescentou. A cidade vizinha de Hong Kong anunciou hoje que as aulas vão estar suspensas até ao dia 02 de março.

A secretária para os Assuntos Sociais e Cultura disse ainda que os estudantes do interior da China que estudem em Macau, e que estejam de férias em casa, não devem voltar ao território até aviso contrário.

A China elevou hoje para 213 mortos e 9.692 infetados o balanço de vítimas do novo coronavírus.

Além do território continental da China, foram reportados casos de infeção em Macau, Hong Kong, Taiwan, Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Estados Unidos da América, Singapura, Vietname, Nepal, Malásia, Austrália, Canadá, Alemanha, França (primeiro país europeu a detetar casos), Finlândia, Camboja e Emirados Árabes Unidos.

 

 

LEIA MAIS Voo que ia repatriar portugueses foi cancelado. China não autoriza saída

Impala Instagram


RELACIONADOS