Pico de afluência nos Covões originou encaminhamento para Hospitais da Universidade de Coimbra

Um “pico de afluência” de doentes com covid-19 ao Hospital dos Covões, na terça-feira, originou o encaminhamento excecional de algumas ambulâncias para a urgência dos Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC), confirmou hoje uma fonte hospitalar.

Pico de afluência nos Covões originou encaminhamento para Hospitais da Universidade de Coimbra

Pico de afluência nos Covões originou encaminhamento para Hospitais da Universidade de Coimbra

Um “pico de afluência” de doentes com covid-19 ao Hospital dos Covões, na terça-feira, originou o encaminhamento excecional de algumas ambulâncias para a urgência dos Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC), confirmou hoje uma fonte hospitalar.

Um “pico de afluência” de doentes com covid-19 ao Hospital dos Covões, na terça-feira, originou o encaminhamento excecional de algumas ambulâncias para a urgência dos Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC), confirmou hoje uma fonte hospitalar.

Uma fonte da administração do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) adiantou à agência Lusa que se tratou de uma medida pontual “para aliviar a pressão” no Hospital Geral (HG), mais conhecido por Hospital dos Covões, e “agilizar os tempos de espera” nesta unidade de saúde.

A meio da tarde de terça-feira, “houve uma grande concentração de doentes” na urgência do polo do CHUC nos Covões, na margem esquerda do rio Mondego, e “algumas ambulâncias foram desviadas” do HG para os HUC.

“Esse pico de afluência verificou-se durante a tarde, a partir das 15:00”, afirmou a mesma fonte do CHUC, a cuja administração preside Carlos Santos.

Explicou ainda, por exemplo, que, nestes casos, “é preciso dar altas para que se alivie o hospital” e para que os doentes que chegam “possam ser internados”.

Após o início da pandemia em Portugal, em março de 2020, o HG foi escolhido pelo Ministério da Saúde como “hospital de referência para a urgência respiratória”, assumindo um papel central no combate à covid-19 na região Centro.

“Para minimizar” o aumento da procura da urgência dos Covões, na terça-feira, foram encaminhados alguns doentes para os HUC, polo central do Centro Hospitalar que recebe “doentes de todas as patologias”, incluindo uma parte dos afetados pela covid-19.

Aquela fonte frisou que “o CHUC é só um hospital, mas com vários polos”.

Hoje, tanto nos HUC como nos Covões, “tem estado tudo dentro da normalidade”, quanto ao atendimento de doentes com covid-19 e demais patologias.

Segundo dados da administração do CHUC, para um total de 1.215 camas disponíveis nos dois polos, a taxa de ocupação por doentes com covid-19 rondava os 40%, na terça-feira.

Estavam internadas 363 pessoas afetadas pelo novo coronavírus, o que corresponde a uma utilização de 99% das 368 camas reservadas à doença, no HG e nos HUC.

Nos cuidados intensivos, a taxa de ocupação era de 87%, com 52 doentes para as 60 camas deste serviço do CHUC.

Adstritas ao tratamento da covid-19, funcionam 15 enfermarias no Centro Hospitalar, nove das quais nos Covões e seis nos HUC.

LEIA MAIS

Meteorologia: Previsão do tempo para quinta-feira, 28 de janeiro

 

Impala Instagram


RELACIONADOS