Covid-19: Madeira prolonga exigência de teste PCR à entrada

O Governo da Madeira prolongou por mais um mês a exigência de teste PCR negativo para covid-19 à entrada nos portos e aeroportos da região autónoma para viajantes oriundos do exterior, indicou hoje o presidente do executivo regional.

Covid-19: Madeira prolonga exigência de teste PCR à entrada

Covid-19: Madeira prolonga exigência de teste PCR à entrada

O Governo da Madeira prolongou por mais um mês a exigência de teste PCR negativo para covid-19 à entrada nos portos e aeroportos da região autónoma para viajantes oriundos do exterior, indicou hoje o presidente do executivo regional.

O Governo da Madeira prolongou por mais um mês a exigência de teste PCR negativo para covid-19 à entrada nos portos e aeroportos da região autónoma para viajantes oriundos do exterior, indicou hoje o presidente do executivo regional. “Vamos prorrogar mais um mês a exigência imperativa dos testes PCR para entrada nos portos e aeroportos da Região Autónoma da Madeira”, afirmou Miguel Albuquerque.

O governante explicou que a medida que autorizava a apresentação apenas do teste rápido antigénio, prevista para entrar em vigor no dia 01 de julho, será revogada. Miguel Albuquerque sublinhou que a decisão decorre do agravamento da situação epidemiológica na região de Lisboa e Vale do Tejo, onde a variante Delta do novo coronavírus se tornou prevalente.

“Temos um problema de disseminação neste momento e um número de casos crescente no continente”, disse, reforçando que está prevista uma chegada “muito grande” de turistas continentais à Madeira durante o verão. “Evidentemente, dá-nos maiores garantias de segurança o teste PCR à entrada nos aeroportos e portos da Região Autónoma da Madeira”, realçou.

Madeira tem 67 casos ativos

Miguel Albuquerque adiantou, por outro lado, que ainda não foi detetada a variante Delta no arquipélago, sendo que as autoridades de saúde aguardam o resultado de amostras enviadas para análise no Instituto Nacional de Saúde (INSA). “Agora não podemos ter a veleidade de pensar que, com a abertura dos portos e dos aeroportos, isso pode não vir a acontecer”, alertou, acrescentando: “Somos uma ilha aberta ao exterior e, portanto, somos suscetíveis de ter essa variante cá”.

E reforçou: “Seja como for, o que é importante, neste momento, é fazer uma contenção e um controlo de casos importados e, para isso, o PCR é mais fiável”.

Para as deslocações entre ilhas – Madeira e Porto Santo – mantém-se a exigência de apresentação de teste antigénio negativo a partir de 01 de julho. De acordo com os dados mais recentes da Direção Regional da Saúde, o arquipélago da Madeira regista 67 casos ativos de covid-19, num total de 9.589 confirmados desde o início da pandemia, e 72 mortos associados à doença.

LEIA AINDA
Covid-19: Segunda fase com centros de vacinação rápida, farmácias e 'website', revela Gouveia e Melo
Covid-19: Maiores de 18 anos começam a ser vacinados já em julho
No Parlamento, Gouveia e Melo explica que os problemas que têm acontecido na vacinação (com alguns dias bem abaixo do expectável) não aparecem “por falta de capacidade dos nossos sistemas”, mas antes porque não existem “vacinas suficientes”. (… continue a ler aqui)

Impala Instagram


RELACIONADOS