Covid-19: Idosos infetados transferidos de lar recebidos com pedras e explosivos em Espanha

O jornal espanhol El Mundo relata esta quinta-feira, 26 de março, um caso de agressões a um grupo de idosos infetados pela covid-19 durante uma transferência de lar.

Covid-19: Idosos infetados transferidos de lar recebidos com pedras e explosivos em Espanha

O jornal espanhol El Mundo relata esta quinta-feira, 26 de março, um caso de agressões a um grupo de idosos infetados pela covid-19 durante uma transferência de lar.

Um grupo de 28 idosos espanhóis infetados pela covid-19 despejado de um lar foi recebido à pedrada e com explosivos em Cádis, na localidade de La Línea de la Concepción. O jornal El Mundo dá conta de que o ataque aconteceu na terça-feira, 24 de março, quando vários populares se colocaram estrategicamente nos acessos ao lar na tentativa de impedirem a passagem das ambulâncias que transportavam os pacientes infetados pelo novo coronavírus. A Polícia espanhola confirmou que «os veículos médicos foram apedrejados» e que «foi necessário escoltá-los», tendo havido, inclusive, «um carro que se atravessou no caminho das ambulâncias». Os ocupantes deste veículo, dois homens de 32 e de 25 anos, «foram detidos».

LEIA DEPOIS
Executado a tiro engrossa número de crimes desde a chegada da pandemia ao Brasil [vídeo+18]

Explosivos atirados sobre o lar para onde os idosos com covid-19 foram transferidos

A violência escalou e os 28 idosos com covid-18 foram cercados por «cerca de 50 populares» que «ameaçaram aumentar os protestos se mais infetados de outros locais fossem transferidos para a cidade» de Cádis, relata a Polícia. As forças de segurança foram obrigadas a formar um cordão de proteção à volta do lar. De noite, vários engenhos explosivos foram depois lançados de casas nas imediações do edifício. Um dos explosivos quase atingiu os agentes que procediam à identificação dos indivíduos que atravessaram a viatura para impedir a passagem das ambulâncias. Apesar dos apedrejamentos e do lançamento de explosivos, não há feridos a registar, confirma o El Mundo junto de fontes policiais.

LEIA MAIS
Maddie vive na Alemanha e chama-se agora Melanie, diz colaboradora da Polícia

 

Impala Instagram


RELACIONADOS