Comic Con Portugal sem tratamento diferenciado para fãs com necessidades especiais

A sétima edição da Comic Con Portugal vai acontecer em vários formatos, entre quinta-feira e domingo, no Parque das Nações, em Lisboa, com limitação de lugares e teste obrigatório à covid-19 para acesso aos espaços físicos.

Comic Con Portugal sem tratamento diferenciado para fãs com necessidades especiais

Comic Con Portugal sem tratamento diferenciado para fãs com necessidades especiais

A sétima edição da Comic Con Portugal vai acontecer em vários formatos, entre quinta-feira e domingo, no Parque das Nações, em Lisboa, com limitação de lugares e teste obrigatório à covid-19 para acesso aos espaços físicos.

O diretor-geral da Comic Con Portugal, Paulo Rocha Cardoso, explicou que o evento realizar-se-á em espaços fechados e abertos, bem como na forma digital. “Teremos o que aconteceu nos últimos quatro anos. O que aconteceu nos últimos dois e o que aconteceu na última edição, em formato Celebration, porque o momento atual obriga a que todas estas atrações sejam concretizadas. Isto dá alguma segurança a todas as pessoas, que podem escolher o [formato] que melhor gostam”, observou.

Solicitando a todos os visitantes que façam teste à covid-19 antes de entrar no recinto, delimitado à Altice Arena, Paulo Rocha Cardoso alertou que, apesar de o evento ter um centro de testagem, os participantes deverão chegar já na posse de um teste, para não criar aglomerações. “No local, nós temos um recurso. Temos um espaço que é uma parceria com a Unilabs, mas é uma situação de recurso. Pedimos às pessoas para não virem testar no local. Pedimos às pessoas, como noutros eventos […], que terão de ser obrigatoriamente testadas”, indicou. Com acessos limitados, a Comic Con Portugal, que volta a realizar-se num espaço físico, terá zonas destinadas à entrada e à saída, nas variadas áreas.

“Em cada uma das áreas temos este tipo de cuidado – zonas de entrada e zonas de saída – para nunca existiram cruzamentos. Mas, acima de tudo, as pessoas já sabem, já têm cuidado […]. Irá existir uma proteção para os artistas com acrílico a dividir o artista do visitante, para todos estarem seguros. Todos o fluxo vai ser gerido por controlo de filas”, adiantou o diretor-geral. Todos os acessos às várias experiências da Comic Con Portugal têm fluxos de visitantes determinados. “O fluxo de entrada e o fluxo de saída estão separados, ou seja, não é como nas outras edições, onde os visitantes entravam e saíam pelo mesmo local”, sustentou Paulo Rocha Cardoso.

Sem tratamento diferenciado para fãs com necessidades especiais

Questionada pelo Portal de Notícias Impala sobre se a organização do evento tem previsto tratamento diferenciado a pessoas de mobilidade reduzida, fonte oficial do evento responde de forma negativa. “Todos os nossos visitantes serão tratados de forma igual”, diz. “Todos serão bem tratados”, garante. No caso de visitantes com dificuldades de comunicação – por exemplo, asperges e autistas, por exemplo – a mesma fonte da Comic Con adianta que “caso as dificuldades sejam agravantes, estas pessoas deverão ser acompanhadas por um responsável pela mesma”, ainda que a organização “não tenha profissionais capacitados para acompanharem estas pessoas”, admite.

“Caso estas pessoas possuam uma dificuldade agravada deverão ser acompanhadas por alguém responsável por esta”. Sem diferenciar entre igualdade e equidade, a organização garante contudo que “todo o evento está preparado para receber todo o tipo de visitantes”, salvaguardando que “caso haja algum inconveniente há pessoas específicas para ajudar”, mas sempre, e uma vez mais, que “estas pessoas deverão ser acompanhadas por alguém que fique responsável pela mesma durante a visita no evento”.

Lotação de 40 mil pessoas

De acordo com o diretor-geral da Comic Con Portugal, o evento de cultura pop tem uma tradição de público de 30% proveniente da área de Lisboa e de 70% do resto do país, esperando uma boa lotação nos próximos dias. “Em ‘outdoor’ [exterior, em português], o máximo da lotação do espaço são 40 mil pessoas, mas ‘indoor’ [interior, em português] teremos uma lotação eficaz. Nunca estarão esses visitantes ‘on time’ [ao mesmo tempo], ao permitirmos às pessoas que entrem e saiam do recinto em qualquer altura”, realçou.

Paulo Rocha Cardoso disse ainda que todas as experiências vão ter “limitação de pessoas”, sendo sempre contabilizadas no acesso. Com uma mensagem de esperança, o diretor-geral da Comic Con Portugal fez ainda referência à essência do evento e lembrou que todas as pessoas podem ser “heróis no dia-a-dia”. “Acreditamos que inspiramos as pessoas a serem uma versão melhor delas próprias. Todos nós já fomos crianças, todos nós crescemos com super-heróis, com personagens que adoramos, com referências que fazem parte da nossa personalidade. Todos nós gostamos de ações. Com grandes poderes vêm grandes responsabilidades”, salientou, citando Stan Lee, o cocriador do Homem-Aranha. E acrescentou que “se pudermos fazer pequenas ações, podemos transformar o futuro”.

‘Intervalo’ presencial por causa da covid-19

A Comic Con Portugal, que começa na quinta-feira, contará com vários atores, argumentistas e ilustradores. No evento estarão atores internacionais, como Noah Schnapp, da série da Netflix Stranger Things, e Misha Collins, da Sobrenatural, bem como, entre outros, elementos do elenco da série portuguesa Glória, realizada por Tiago Guedes. Na área da Banda Desenhada, os visitantes vão poder encontrar autores como Miguelanxo Prado, Paco Roca, Filipe Melo, Juan Cávia ou Joe Abercrombie, entre outros.

A Comic Con Portugal deveria ter acontecido em setembro passado no Passeio Marítimo de Algés, em Oeiras, mas foi adiada por causa da pandemia da covid-19, sendo agora remarcada num novo espaço, genericamente indicado no Parque das Nações. A Comic Con Portugal realizou-se pela primeira vez em 2013, na Exponor, em Matosinhos, distrito do Porto, onde decorreram as primeiras quatro edições. Em 2020, em vez de uma edição física, a organização decidiu fazer um evento ‘online’ e gratuito em setembro na página oficial, com apresentações de filmes, de livros, conteúdos de banda desenhada, de videojogos e ‘cosplay’. A última edição física foi, então, em 2019, com vários espaços e palcos de divulgação de conteúdos relacionados com entretenimento, cinema, televisão, banda desenhada e videojogos, e a presença de cerca de 140 mil visitantes.

Impala Instagram


RELACIONADOS