Bárbara Guimarães vai acusar Carrilho de violência sobre os filhos

O novo advogado de Bárbara Guimarães afirma ao Portal de Notícias Impala que pretende acusar Manuel Maria Carrilho de violência doméstica sobre os filhos.

Bárbara Guimarães vai acusar Carrilho de violência sobre os filhos

O novo advogado de Bárbara Guimarães afirma ao Portal de Notícias Impala que pretende acusar Manuel Maria Carrilho de violência doméstica sobre os filhos.

O novo advogado de Bárbara Guimarães, José António Pereira da Silva, quer avançar com um processo contra Manuel Maria Carrilho de violência doméstica sobre os dois filhos, Dinis, de 15 anos, e Carlota, de oito.

Em causa estão as imagens divulgadas pela TVI numa reportagem coordenada por Ana Leal que mostram o ex-ministro da cultura a entregar os filhos a Bárbara Guimarães num ambiente de agressividade. «O filho [Dinis] é vitima de violência doméstica. Assistimos ao Carrilho a entregar a filha a Bárbara num ambiente de agressividade e o Ministério Público continua sereno em relação a esta situação», afirma.

A defesa da apresentadora de televisão afirma não conseguir perceber a posição do MP em relação a este processo: «Espanta-me como é que o Ministério Público põe processos de proteção a menores em casos menos mediáticos, e assiste a este sem fazer nada».

Os dois filhos menores do ex-casal nunca tiveram o estatuto de vítimas de violência doméstica, como está previsto na lei.

Esta é uma decisão do conhecimento da apresentadora de televisão que, segundo o advogado, «tem conhecimento de tudo o que eu faço».

O advogado de Bárbara Guimarães salienta ainda: «Tenho critérios éticos pelos quais me pauto e não posso deixar de lavrar o meu protesto e estranheza por ver o Ministério Público impávido e sereno a assistir àquilo que todo o país viu».

Julgamento do caso de violência doméstica entre Carrilho e Bárbara Guimarães arrasta-se devido a erro do MP

Mais de um ano depois de ser absolvido, Manuel Maria Carrilho volta ao Tribunal para o julgamento onde é acusado de violência doméstica contra a ex-mulher, Bárbara Guimarães.

A reabertura do julgamento foi requerida pelo Tribunal da Relação de Lisboa que considerou a existência de um facto que não tinha sido contemplado anteriormente. Um episódio, que terá acontecido em Lisboa, a 14 de setembro de 2013, em que Carrilho terá ameaçado atirar Bárbara Guimarães por umas escadas. «Estás a ver estas escadas? Atiro-te e vamos todos ao teu funeral», terá dito o arguido, de acordo com a tese da acusação.

Depois da última sessão, a 30 de janeiro, o advogado de Bárbara Guimarães apercebeu-se de um lapso do MP ao verificar os documentos do processo. O momento em causa – que ditou a reabertura do processo – terá acontecido a 14 de outubro de 2013. Nesse dia, Carrilho terá ameaçado de morte a apresentadora.

A sessão foi adiada para o dia 1 de março, às 14 horas.

LEIA MAIS
Carrilho em tribunal | «Estás a ver estas escadas? Atiro-te e vamos todos ao teu funeral»

 

Impala Instagram


RELACIONADOS