Dicas para mães de primeira viagem: o antes, o durante e o pós-maternidade

É normal que as mães de primeira viagem se sintam inseguras e cheias de dúvidas antes, durante e depois do parto, por isso deixamos-lhe algumas dicas que não pode perder.

Dicas para mães de primeira viagem: o antes, o durante e o pós-maternidade

Dicas para mães de primeira viagem: o antes, o durante e o pós-maternidade

É normal que as mães de primeira viagem se sintam inseguras e cheias de dúvidas antes, durante e depois do parto, por isso deixamos-lhe algumas dicas que não pode perder.

Sermos mães de primeira viagem pode parecer uma missão difícil. No entanto, se prepararmos tudo com a devida antecedência e se estivermos informadas será uma fase encantadora. É normal que os pais se sintam inseguros e cheios de dúvidas. Por isso, deixamos-lhe a primeira dica – converse com outras mães e cuide da sua saúde física e emocional.

Quais os principais sinais de gravidez?

Um dos primeiros sinais que podem indicar gravidez é a ausência de menstruação, mas existe um conjunto de alterações consideradas normais durante a gravidez, no entanto, cada mãe sente isso de maneira diferente. Segundo o SNS 24, para além do aumento da barriga, existem outras mudanças físicas no corpo da futura mãe:

  • – maior cansaço e/ou sonolência no começo da gravidez
  • – náuseas e vómitos, sobretudo logo de manhã
  • – seios mais volumosos e mamilos mais sensíveis
  • – maior pigmentação na aréola do mamilo e aumento da sensibilidade do mesmo, sendo normal o eventual aparecimento de leite no final da gravidez
  • – aparecimento de uma linha escura na barriga que desaparece ao longo da gravidez
  • – manchas escuras na cara (cloasma)
  • – prisão de ventre (obstipação)
  • – necessidade de urinar mais vezes (sobretudo no início e fim da gravidez)
  • – aparecimento de varizes
  • – dores nas costas (sobretudo no final da gravidez)

É natural existirem alterações ao nível psicológico, sobretudo no primeiro e último trimestre:

  • – maior sensibilidade
  • – insegurança
  • – ansiedade
  • – preocupação
  • – choro fácil

Quais os sinais de alerta durante a gravidez?

Caso tenha algum destes sinais, deverá dirigir-se, ao centro de saúde ou urgência da maternidade:

  • – sangramento vaginal ou perda de líquido pela vagina
  • – corrimento vaginal com comichão, ardor ou cheiro não habitual
  • – dor abdominal/pélvica contínua
  • – arrepios ou febre (superior a 37,8º C)
  • – dor ou ardor ao urinar ou sensação que não consegue parar de urinar ou presença de sangue na urina
  • – vómitos persistentes
  • – dor de cabeça forte ou contínua
  • – perturbações da visão
  • – subida da tensão arterial
  • – aumento acentuado do peso num curto espaço de tempo
  • – inchaço repentino dos pés, mãos ou rosto
  • – diminuição dos movimentos fetais

Pré-natal

O pré-natal é o acompanhamento feito durante toda a gravidez. Este é imprescindível para avaliar a saúde materna e a do bebê, prevenindo e diagnosticando precocemente possíveis complicações. Com este, é possível detetar alterações e seguir um protocolo de tratamento que pode evitar muitos problemas, deixando a mãe preparada para qualquer imprevisto.

Alimentação pré-natal

Neste período é essencial ter uma alimentação equilibrada. Ela deverá ser variada e na porção certa, sendo importante referir que não é necessário comer por dois. Deixamos-lhe uma lista dos alimentos que deverá incluir na sua alimentação:

  • – ovos
  • – peixe gordo
  • – carnes brancas ou vermelhas
  • – ervilhas
  • – feijão
  • – grão
  • – favas
  • – lentilhas
  • – leite
  • – queijo
  • – iogurtes
  • – vegetais
  • – fruta
  • – líquidos (água, infusões, sopa)

Da mesma forma, deverá evitar os seguintes alimentos:

  • – leite e lacticínios não pasteurizados, incluindo queijo fresco e requeijão
  • – queijos mal curados
  • – enchidos e fumados
  • – marisco
  • – enlatados
  • – peixes com alta concentração de mercúrio (peixe-espada, cação, espadarte, tamboril, tintureira)
  • – carne, peixe e ovos mal cozinhados
  • – patês
  • – alimentos e bebidas doces
  • – alimentos com excesso de sal ou com aditivos
  • – café, chá e refrigerantes com cafeína
  • – bebidas energéticas

Deverá ter cuidados acrescidos quanto aos alimentos crus, visto que podem ser portadores de microrganismos que levam a doenças, como a toxoplasmose e a salmonelose, devendo, por isso, ser cozinhados de forma simples ou muito bem lavados. O tabaco, o álcool e as drogas são altamente prejudiciais para o futuro bebé, por esse motivo, deverão ser eliminados durante toda a gravidez. Da mesma forma, os fármacos deverão ser indicados pelo médico para prevenir a toma de medicação que possa ser prejudicial para a mãe e para o bebé. É ainda recomendado fazer suplementação de:

  • – ácido fólico no 1º semestre da gravidez
  • – ferro no 2º e 3º trimestres
  • – iodo durante toda a gravidez e amamentação

Poderá optar por um multivitamínico como o concevit gravidez – suplemento alimentar que ajuda a satisfazer as necessidades nutricionais da mulher nas três etapas da pré conceção, gravidez e amamentação.

Plano de parto

Deverá preparar o seu plano de parto com a devida antecedência – descrever todos os procedimentos que gostaria que fossem feitos e os que deseja evitar. Isso irá ajudá-la a ficar mais tranquila durante o parto, prevenindo situações desagradáveis. Pesquise bastante, converse com obstetras e com outras mães e elabore o seu plano.

Pós-parto

O pós-parto é um momento de grande alegria para a maioria das mães, mas também pode envolver muitas angústias e por vezes até depressões. Nesta fase, será importante aprender a delegar funções para que não assuma todas as responsabilidades sozinha, pois isso poderá gerar um cansaço maior a longo prazo.

*Artigo patrocinado

Impala Instagram


RELACIONADOS