Mulher e filhas de Jorge Gabriel regressam a casa depois de estarem infetadas com covid

A mulher e as filhas de Jorge Gabriel contraíram covid e estiverem em isolamento em Porto Santo, na Madeira. O apresentadora marcou o reencontro da família e mostrou-se feliz por estarem novamente juntos.

Mulher e filhas de Jorge Gabriel regressam a casa depois de estarem infetadas com covid

A mulher e as filhas de Jorge Gabriel contraíram covid e estiverem em isolamento em Porto Santo, na Madeira. O apresentadora marcou o reencontro da família e mostrou-se feliz por estarem novamente juntos.

A mulher de Jorge Gabriel, Filipa Gameiro e as filhas Mariana, de 17, Madalena, de 15,  já regressaram a casa depois de terem ficado retidas em Porto Santo, Madeira, após terem contraído o novo coronavírus.

O reencontro foi um momento feliz para toda a família e o apresentador fez questão de marcar a data nas redes sociais.

«Os resistentes ao Covid já regressaram do Porto Santo. Foi uma prova de fogo onde, desde a mãe aos filhos, demonstraram uma resiliência que os tornou ainda mais fortes», começou por escrever. «Porém, uma equipa para vencer precisa de reforços. Aqui ficam alguns dos anjos que foram inestimáveis no apoio que prestaram», acrescentou, de seguida, agradecendo a todos os que acompanharam a família e os apoiaram neste momento complicado.

 

O susto com o pai, de 95 anos

O apresentador [que deu negativo para a covid-19] marcou presença na apresentação da nova grelha da RTP, num evento que aconteceu no dia 10 de setembro, no Capitólio, no Parque Mayer, em Lisboa. Em conversa com a imprensa, o rosto do canal público de televisão confidenciou que viveu um grande susto com o pai, de 95 anos.

«É evidente que estava preocupado [com a mulher e filhas], mas o maior susto que eu apanhei, aquilo que mais me preocupou é que eu volto no domingo [das férias na ilha da Madeira], faço o programa e o teste na segunda-feira em Setúbal, na terça-feira de manhã decido ir visitar o meu pai ao lar… Quando estou dentro do carro, ainda dentro do lar, toca o telefone de um número desconhecido: ‘fala do centro de saúde de Cascais, não tenho uma notícia muito agradável para lhe dar, a sua amiga…’», conta.

«O passo seguinte foi avisar imediatamente o lar. O meu pai esteve 15 dias confinado dentro do quarto e tem 95 anos. Para ser sincero, foi a minha preocupação maior, fosse alguma coisa sucedia com o meu pai, porque felizmente as minhas filhas são saudáveis, a minha mulher é saudável, estava tudo a correr bem. Ninguém tinha pingo no nariz, febre, tosse, incómodos corporais… a única coisa que perderam foi o olfato e o paladar».

Texto: Inês Marques Fernandes com Ricardina Batista; Fotos: Instagram

 

Impala Instagram


RELACIONADOS