Linda de Suza culpa ex-namorado por viver na miséria

Linda de Suza viveu na miséria e atira as culpa para cima do ex-namorado. “Não tenho nada […] nem sequer tenho o suficiente para comprar comida de cão”.

Linda de Suza culpa ex-namorado por viver na miséria

Linda de Suza viveu na miséria e atira as culpa para cima do ex-namorado. “Não tenho nada […] nem sequer tenho o suficiente para comprar comida de cão”.

Linda de Suza morreu nesta quarta-feira, dia 28 de dezembro, vítima de insuficiência respiratória e outras complicações associadas à covid-19. Apesar de ter passado os últimos dias no hospital Gisors, na Normandia, o passado da autora do romance A Mala de Cartão ficou marcado por dificuldades financeiras e alguns conflitos com o estado francês.

Em 2015, Linda de Suza tinha contado que estava a viver com apenas 400 euros e que o seu antigo companheiro era o culpado por tê-la levado a não declarar os rendimentos, uma vez que era ele o responsável por tratar das suas finanças. “Sem recibos, não há reforma”, disse a cantora em entrevista à revista Télé Poche, citada pela Gala. “Ele dormiu comigo pelo dinheiro”, referiu ainda a cantora.

“Nem sequer tenho o suficiente para comprar comida de cão”

“Falsificaram os meus documentos, atribuíram-me dois números de cartão de residente e de segurança social em França, modificaram mesmo a data da minha chegada a França, pondo 1979 quando eu cheguei em 1970, e, desse modo, desviaram o meu dinheiro abrindo contas secretas que eu desconhecia, uma no banco Rotschild, em Paris, e outras no Luxemburgo”, revelou Linda de Suza ao Expresso e acrescentou: “Na altura era ingénua, era muito humilde, acreditava nas pessoas e não controlava nada da contabilidade e do dinheiro que ganhava com os discos, os espetáculos, o livro, os filmes”.

Para ler depois
Claudisabel: Teste ao condutor envolvido no acidente revela presença de álcool
Claudisabel “teve uma morte violenta” e o cenário “perturbou até os operacionais destacados para o socorro às vítimas”. (… continue a ler aqui)

O pesadelo com as Finanças e com a Segurança Social francesas parecia não ter fim quando a cantora tentou pedir a reforma. “De 70 a 78 fui camareira, contribuí. Depois tornei-me artista. E agora a polícia e os serviços de inteligência dizem-me que apenas cheguei em França em 1979, dando-me um novo número de cartão de residente e a dizer que naquela altura eu exercia uma profissão liberal”, disse há sete anos à rádio RTL, onde confessou viver num estado de miséria: “Não tenho nada. Vendi milhões de livros, milhões de discos e agora não tenho nada. Nem sequer tenho o suficiente para comprar comida de cão”.  Linda de Suza, o nome artístico de Teolinda de Sousa Lança, tornou-se popular na década de 1980.

Texto: Carolina Sousa;
Fotos: Redes Sociais

Impala Instagram


RELACIONADOS