Este é o segredo que fez Ana Brito e Cunha aceitar o papel de Florinda em Festa é Festa

Em Festa é Festa, Ana Brito e Cunha, de 46 anos, veste a pele de Florinda, uma mulher temente a Deus. Atriz revela o que a fez aceitar o convite sem pensar duas vezes

Este é o segredo que fez Ana Brito e Cunha aceitar o papel de Florinda em Festa é Festa

Em Festa é Festa, Ana Brito e Cunha, de 46 anos, veste a pele de Florinda, uma mulher temente a Deus. Atriz revela o que a fez aceitar o convite sem pensar duas vezes

Em Festa é Festa, Ana Brito e Cunha veste a pele de uma mulher temente a Deus. Em conversa com a NOVA GENTE, a atriz, de 46 anos, garante que este é um dos traços da personalidade da personagem de Florinda com o qual mais se identifica. “Temos a mesma Fé. Eu ando com um terço na carteira, como ela”, conta a atriz de “Festa é Festa” à nossa revista, à margem da celebração que integrou o último episódio da primeira temporada da novela da TVI e que o canal emitiu, ao longo do dia, no passado sábado, 25 de setembro. “Ajuda-me imenso ter fé. Confio na Divina Providência e as ansiedades desaparecem porque as coisas acontecem quando têm de acontecer”, acredita.

Aliás, é precisamente esta sua fé que está impressa em Florinda. “O autor da novela [Roberto Pereira] disse-me que [com Florinda] era para passar a fé que eu transmitia. Agradeci e aceitei porque acho que as pessoas estão muito enganadas com aquilo que é a fé. Não é nada chato, castrador ou uma penitência. É alegria, companhia, confiar, saber que vai correr bem. É acreditar. Estava na altura de passar a fé como uma coisa boa, não é nenhuma amargura nem inquisição”, acrescenta. Na mesma ocasião, Ana Brito e Cunha revelou o segredo que lhe foi confidenciado e que a fez aceitar vestir este papel. “Uma das coisas que me convenceu na negociação foi dizerem-me, em segredo, que a minha parceira ia ser a Maria do Céu Guerra. Não tive como pensar duas vezes, porque há comboios na vida que não podemos perder”, conta.

Leia depois
Ana Brito e Cunha recorda o que faltou fazer quando a filha morreu

Atriz de Festa é Festa foi vítima de contrabando

Ana Brito e Cunha diz ter sido vítima de contrabando poucos dias depois de ter nascido. “Quando nasci, lá está, aristocracia, 1975, depois do 25 de Abril, a minha família, ala que se faz tarde, abala para Espanha”, começou por referir. “O meu pai já lá estava, em Espanha. A minha mãe teve-me cá [em Portugal] no e, ao fim de seis dias, teve que se ir embora. E eu não tinha documentos. Não tinham tido tempo de me registarem”, prosseguiu Ana Brito e Cunha. Saiba tudo aqui. 

Texto: Ana Filipe Silveira; Fotos: Reprodução Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS