Fanny sofreu com o excesso de peso: «Diziam-me que era um ‘pote de banhas’»

Fanny Rodrigues esteve à conversa com Fátima Lopes, em «A Tarde É Sua», na TVI, sobre a sua «nova vida», depois de ter perdido 31 quilos.

Fanny sofreu com o excesso de peso: «Diziam-me que era um ‘pote de banhas’»

Fanny Rodrigues esteve à conversa com Fátima Lopes, em «A Tarde É Sua», na TVI, sobre a sua «nova vida», depois de ter perdido 31 quilos.

Fanny Rodrigues foi a convidada de Fátima Lopes esta quarta-feira, 23 de outubro, em «A Tarde É Sua», na TVI, para falar da sua «nova vida» depois de ter perdido 31 quilos. «Foi um longo caminho. Tive a ajuda da cirurgia, mas também custou muito e ainda custa porque sempre fui amante de comida», começou por dizer Fanny. «Não me lembro de ser magra, rapidamente comecei a ter excesso de peso. Em pequenina, já era ‘cheinha’», disse.

LEIA DEPOIS
Bebé sem rosto. Rodrigo não ouve e só respira pela boca

Fanny teve o apoio da família

A ex-concorrente do reality show da TVI recordou o impacto que o excesso de peso sempre teve na sua vida, nomeadamente na fase da adolescência quando vivia na Suíça.  Aos 28 anos e depois de ter sido mãe, Fanny conquistou finalmente a boa forma que tanto desejava. Contudo, não esquece os momentos difíceis que viveu ao longo da sua vida e o quão difícil foi lidar com as críticas das pessoas, especialmente, quando se tornou conhecida do público português, em 2011, com a sua participação «na casa mais famosa do País» – a Casa dos Segredos.

«Era imperfeita aos olhos de muitas mulheres mas só me apercebi quando saí», recorda Fanny, referindo-se ao momento em que saiu do reality show da TVI, em 2011, um dos períodos mais marcantes da sua vida. «Diziam que eu era um ‘pote de banhas’, que vim para Portugal para fazer «peso» no País, que era um ‘rojão’ com pernas, ouvi tanta coisa e, na altura, só vestia o XL e, na minha cabeça, uma mulher que veste o XL não é gorda», lamentou a jovem de Oliveira de Azeméis.

A família foi um apoio fundamental para superar esta fase mais difícil. «O meu único lugar é a minha família e a minha casa, as minhas ‘quatro paredes’, onde eu posso ser o que quero e ninguém me aponta o dedo. Eu só consigo pertencer a algum lado quando estou com os meus», desabafou Fanny.

O pesadelo do pós-parto

Fanny, referiu também à fase pós-parto que não correu como tinha idealizado. «Depois de ter o meu filho, parecia que continuava grávida. Estava mesmo gordinha e nunca pensei», relembra Fanny. Hoje, olha para este longo caminho de luta contra o peso como um desafio que a tornou melhor.  «Outra pessoa que não tivesse o equilíbrio mental que eu tinha na altura e a família que eu tinha, acho que, no meu lugar, tinha cometido o suicídio.

Texto: Sofia Santos Cardoso; Fotos: Reprodução Redes Sociais

LEIA MAIS
Incêndios na Califórnia obrigam mais de 40 mil pessoas a abandonar casas
Previsão do tempo para sexta-feira, 25 de outubro

Impala Instagram


RELACIONADOS