Maioria dos alunos não consegue usar computador de forma autónoma

Jornalistas, marketeers ou influencers? Há espaço para todos numa só pessoa

2020 é sinónimo de mudança, mas também da maximização do mundo digital. Pelas palavras de Danny Whatmough “There’s no such thing as digital”, pois “o digital” está em tudo o que fazemos.

2020 é sinónimo de mudança, mas também da maximização do mundo digital. Pelas palavras de Danny Whatmough “There’s no such thing as digital”, pois “o digital” está em tudo o que fazemos. Digital está na forma como comunicamos (com família, amigos, colegas), como trabalhamos, como compramos, como nos inspiramos, como nos entretemos ou até como aprendemos. Já pensou quantas vezes tocou no seu telemóvel ou computador hoje? E porque razões?

As ferramentas e canais digitais fazem parte do nosso dia-a-dia, desde as redes sociais, às newsletters ou às compras online. Vieram mudar o mundo e, com isso, a forma como pensamos e gerimos as nossas relações, compras, interesses, etc. E não é diferente quando chega a hora de escolher a fonte informativa, ou seja, através de que meio ou canal escolhemos receber informação sobre o país e o mundo de forma generalista ou mais especializada.

Enquanto consumidores mudámos – e, por consumidores, entendamos consumidores de bens, serviços ou informação. Estamos mais exigentes – na qualidade, na rapidez, na transparência, na personalização – e isso deve-se “ao digital”. A facilitação dos processos, combinada com o acesso a mais informação, traz-nos o contexto base para sermos consumidores atuais e atualizados, o que eleva o grau de exigência junto de jornalistas e órgãos de comunicação social.

Hoje em dia todos somos produtores de conteúdo, basta-nos um telemóvel ou um computador. Todos temos a nossa rede de contactos, família, colegas e amigos, as quais influenciamos com a nossa opinião, experiências e partilhas. Os jornalistas são influenciadores enquanto veículos para uma população informada. Influenciam a audiência com os temas que analisam, através das histórias que desenvolvem e partilham com a audiência. Influenciam a perspetiva que os ouvintes, telespetadores ou leitores têm após consumir a informação por eles produzida e partilhada. No entanto, este contexto não é novo, os jornalistas sempre foram influenciadores. O que é novo é o conjunto de ferramentas que têm à sua disposição para o fazer de forma eficiente e eficaz.

Os jornalistas têm um papel fundamental nesta tríade informativa: consumidor,produtor de conteúdo/jornalista, órgão de comunicação social. Não é suficiente produzir bom conteúdo (é crucial, claro!), é imperativo colocá-lo na plataforma ou canal certo para a audiência adequada. Ter consciência de quais são as redes sociais mais utilizadas, os formatos mais lidos ou as ferramentas com maior adesão são informações decisivas.

Atualmente o processo de produção de informação não acaba quando o artigo, peça ou reportagem está concluída. O jornalista produz conteúdo, mas deve ter sempre em conta aspectos como: onde será publicado para adequar o formato; quando será publicado; quem é que o irá consumir e onde (no telemóvel, no computador, em viagem ou no conforto do sofá?).

As ferramentas digitais trazem um novo contexto informativo, do qual os jornalistas e os órgãos de comunicação social devem retirar o melhor partido possível para responder ao objetivo final: dar aos consumidores a informação que responde integralmente às suas necessidades. Quanto mais à vontade os jornalistas estiverem com os canais digitais e quanto melhor conhecerem a sua audiência, melhor conteúdo produzirão. E, assim, maiores impactos terão em termos de resultados.

O jornalista não é um marketeer, nem pode sê-lo, mas deve estar a par das tendências para entender como pode corresponder às expetativas e necessidades da sua audiência. Assim, o bom conteúdo produzido será apresentado às pessoas certas, na hora e no local adequado.

 

 

Vanessa Andrade
Consultora de Comunicação Estratégica e Marketing Digital
Formadora na FLAG
Docente na ESCS do Instituto Politécnico de Lisboa


ÚLTIMOS ARTIGOS

Jornalistas, marketeers ou influencers? Há espaço para todos numa só pessoa

2020 é sinónimo de mudança, mas também da maximização do mundo digital. Pelas palavras de Danny Whatmough “There’s no such thing as digital”, pois “o digital” está em tudo o que fazemos.