Mulher que perseguiu Isaltino Morais condenada a 6 anos

“Ela estava a fazer a vida infernal a mim e a outras pessoas. Chegou ao ponto de ameaçar repetidamente que me dava um tiro e ainda iria fazer mal aos meus filhos, principalmente ao mais novo. Dei comigo a entrar em casa de costas”, disse Isaltino.

Mulher que perseguiu Isaltino Morais condenada a 6 anos

Mulher que perseguiu Isaltino Morais condenada a 6 anos

“Ela estava a fazer a vida infernal a mim e a outras pessoas. Chegou ao ponto de ameaçar repetidamente que me dava um tiro e ainda iria fazer mal aos meus filhos, principalmente ao mais novo. Dei comigo a entrar em casa de costas”, disse Isaltino.

Antiga integrante da lista com que Isaltino Morais venceu a Câmara de Oeiras, em 2017, foi agora condenada, no Tribunal de Cascais, a 6 anos e 3 meses de prisão por perseguição, injúrias e ameaças ao autarca. Também outras seis pessoas – entre elas uma filha de Isaltino, o vice-presidente e dois vereadores – foram coagidos.

A mulher já cumpre sete anos por crimes semelhantes contra um ex-namorado que conheceu nessa eleição autárquica. De acordo com o Ministério Público, este tribunal deu como provado que a mulher, de 42 anos, “criou vários blogues com o propósito de publicar informações com conteúdos vexatórios, ofensivos e até assustadores com o intuito de prejudicar pessoal e profissionalmente as pessoas por si visadas”. Os crimes ocorreram entre 2017 e 2018. “De forma frequente e sistemática enviou várias mensagens para o telemóvel do assistente [Isaltino] com conteúdos atentatórios da dignidade e da integridade física e moral do mesmo”, refe o MP.

Mensagens do mesmo teor foram também enviadas a outros visados, chegando, inclusivamente, a publicar fotografias dos mesmos sem para tal estar autorizada. O objetivo era colocar em causa o seu bom nome, honra e reputação pessoal. O tribunal entendeu que a mulher “teve acesso a um computador de onde transferiu documentação e informação alheia sem quem para tal estivesse autorizada”.

«Dei comigo a entrar em casa de costas»

Foi condenada pelos crimes, todos agravados, de perseguição, injúria, difamação, gravação e fotografias ilícitas, ameaça e acesso ilegítimo. Isaltino Morais contou que foi a primeira vez que teve “medo” da sua “integridade física e pela dos filhos“. O autarca teve proteção da PSP. Conheceu a arguida quando lhe deu ocupação “como voluntária” no secretariado da candidatura “a pedido do pai dela”.

“Ela estava a fazer a vida infernal a mim e a outras pessoas. Chegou ao ponto de ameaçar repetidamente que me dava um tiro e ainda iria fazer mal aos meus  filhos, principalmente ao mais novo. Dei comigo a entrar em casa de costas“, acrescentou.

LEIA AINDA
Homem investigado por crimes sexuais assassinado com tiros nos olhos
Tenta matar oito pessoas após ser expulso de café
Tudo aconteceu após ter sido expulso de um café por estar altamente embriagado. Primeiro alvo da sua fúria foi o funcionário que o colocou na rua. (… continue a ler aqui)

Impala Instagram


RELACIONADOS