Mulher recorre a eutanásia após desgosto amoroso

Uma mulher que alegou que o seu sofrimento era «insuportável e incurável» morreu com recurso à eutanásia, na Bélgica.

Mulher recorre a eutanásia após desgosto amoroso

Mulher recorre a eutanásia após desgosto amoroso

Uma mulher que alegou que o seu sofrimento era «insuportável e incurável» morreu com recurso à eutanásia, na Bélgica.

O caso de Tina Nys, uma mulher que recorreu à eutanásia, está a gerar bastante polémica na Bélgica. Apesar de a mulher ter sido diagnosticada com autismo por vários médicos, os familiares garantem que ela não sofria da referida doença. Estava, antes, sob um desgosto amoroso. As irmãs de Tina acusaram três especialistas – nomeadamente duas médicas e uma psiquiatra – de terem tomado uma decisão precipitada, sem antes terem tentado tratar a irmã.

LEIA DEPOIS
Bruno de Carvalho aos jornalistas: «Não quero estar aqui ao pé de pessoas burras»

Na Bélgica, a eutanásia é permitida desde 2002 sob um enquadramento legal rigoroso

O diagnóstico terá sido realizado dois meses antes de a mulher ter tido uma morte medicamente assistida, avança a comunicação social belga. De acordo com as autoridades, Tina terá afirmado que o seu sofrimento era «insuportável e incurável». Na Bélgica, a eutanásia é permitida desde o ano 2002 sob um enquadramento legal rigoroso. A eutanásia só pode ser solicitada para pacientes que sofrem de uma doença incurável e cujo pedido feito pelos próprios de uma forma «voluntária, ponderada e repetida».

LEIA MAIS
Criança liga para número de emergência para pedir comida
Estes batons para o cieiro «têm potencial cancerígeno»

Impala Instagram


RELACIONADOS