Matou a namorada e regou-a com soda cáustica. Polícia diz que morte foi acidental

César Román é acusado de ter assassinado a namorada e de ter escondido o cadáver numa mala num dos seus restaurantes, em outubro do ano passado. A Polícia acredita que o homem matou a noiva acidentalmente.

Matou a namorada e regou-a com soda cáustica. Polícia diz que morte foi acidental

Matou a namorada e regou-a com soda cáustica. Polícia diz que morte foi acidental

César Román é acusado de ter assassinado a namorada e de ter escondido o cadáver numa mala num dos seus restaurantes, em outubro do ano passado. A Polícia acredita que o homem matou a noiva acidentalmente.

César Román foi detido preventivamente em outubro do ano passado. O homem, conhecido como rei do cachopo (um bife panado recheado com queijo e presunto, tradicional do norte do país, em Madrid), é acusado de ter assassinado a namorada e de ter escondido o cadáver numa mala num dos seus restaurantes, em Madrid, Espanha.

Agora, a investigação aponta para outro sentido. A Polícia Nacional espanhola acredita que a morte foi um acidente e que terá ocorrido na sequência de uma discussão.

As autoridades espanholas dizem que o homem de 45 anos matou a namorada, Heydi Paz Bulnes, de 25 anos, acidentalmente durante uma discussão no apartamento onde viviam juntos, em Madrid.

Ao cometer o crime, Román ficou assustado e em vez de alertar as autoridades desmembrou o corpo da vítima. Depois, escondeu o cadáver numa mala num dos seus restaurantes.

Esconde cadáver e foge do país

O suspeito estava desaparecido desde finais de julho, quando, sem aviso, fechou os cinco restaurantes que tinha. As mesas estavam postas, como se os restaurantes fossem abrir no dia seguinte. Mas de Román, nem rasto. Nem dele nem da namorada Heidi. Toda a gente achou que teriam fugido juntos. Havia dívidas a sócios e fornecedores e esta foi a primeira explicação encontrada.

Em agosto, foram encontrados restos de um corpo, dentro de uma mala, numa das caves de um dos restaurantes. Os restos mortais estavam cobertos com soda cáustica, uma substância química capaz de dissolver cadáveres.

Uma fotografia de Román começou a ser divulgada pelos meios de comunicação social. No entanto, e para que não fosse reconhecido, o homem mudou o seu aspecto para que a teoria da identidade falsa pegasse. Rapou o cabelo, deixou crescer a barba, e emagreceu 10 quilos. Ainda assim, os donos do restaurante, onde trabalhava, reconheceram-no quando viram a sua foto na televisão e avisaram as autoridades.

A detenção aconteceu 24 horas após o corpo de Heidi Paz, de 25 anos, natural das Hunduras, ter sido identificado.

César Román alega ser inocente, negando todos os factos, e atribui a culpa a um grupo de narcotraficantes. Numa carta, o arguido conta que um grupo de traficantes de droga apontaram uma arma à cabeça da vítima acabando por assassinar Heydi, o que o levou a desaparecer e sair da capital espanhola depois de várias ameaças de morte.

Foram encontrados vestígios onde as autoridades acreditam ser o local do crime, que estão a ser analisados. Caso correspondam ao ADN da noiva, a teoria de Román cai por terra.

Médicos, bombeiros, polícias e parentes de Heydi acreditam que o homem terá desmembrado o corpo da vítima para ser mais fácil transportá-lo.

LEIA MAIS
Previsão do tempo para terça-feira
Uma pessoa morreu em queda no Cabo da Roca

 

Impala Instagram


RELACIONADOS