Se tiver este hábito antes de dormir pode ser sinal de diabetes

Médico adverte como hábito comum antes de dormir pode ser sinal de diabetes. Esta é uma doença muitas vezes silenciosa e os sintomas podem passar despercebidos. Esteja atento.

Se tiver este hábito antes de dormir pode ser sinal de diabetes

Se tiver este hábito antes de dormir pode ser sinal de diabetes

Médico adverte como hábito comum antes de dormir pode ser sinal de diabetes. Esta é uma doença muitas vezes silenciosa e os sintomas podem passar despercebidos. Esteja atento.

A diabetes é uma doença crónica ( e muitas vezes silenciosa) caracterizada pelo aumento dos níveis de açúcar no sangue. Estima-se que em todo o mundo existam cerca de 400 milhões de pessoas com diabetes, sendo que os números não param de aumentar. E que atinge mais de 10% da população portuguesa.

Leia depois
Tratamento inovador cura criança de 13 anos com cancro terminal
Tratamento inovador contra a leucemia apresenta resultados surpreendentes ao eliminar cancro, considerado incurável, a criança de 13 anos. Alyssa foi a primeira a receber este tratamento (… continue a ler aqui)

Os sintomas podem variar, mas há um hábito, aparentemente comum, que o deve deixar alerta. Segundo o nutricionista Paul McArdle, especialista britânico em diabetes, sentir muita sede antes de dormir e muita vontade de urinar pode ser sinal de que os níveis de glicose no sangue estão muito altos.

Em entrevista ao jornal The Express, o médico alerta que as pessoas podem não se aperceber que começaram a beber um copo de água antes de dormir, ou que se levantam mais à noite para ir à casa de banho. Beber mais água está ligado ao aumento da necessidade de urinar que acompanha a diabetes, pois os rins precisam de mais líquido para remover o excesso de glicose do sangue. Outros sintomas menos óbvios da doença e aos quais devem prestar atenção, são a candidíase, comichão na zona genital, visão turva e feridas que não cicatrizam, explica ainda o nutricionista.

O que é a diabetes e os tipos mais comuns

A diabetes é uma doença crónica e muitas vezes silenciosa. As complicações que provoca, em diferentes órgãos do corpo, são a maior preocupação, podendo reduzir a qualidade e o número de anos de vida. De uma forma simplificada, ter diabetes significa ter açúcar (glucose) em excesso no sangue, o que é designado de hiperglicemia, indica o site do Hospital da Luz.

“O açúcar é necessário para o metabolismo das células. Para que ele seja para aí transportado o pâncreas produz insulina, hormona que vai captar a glicose da corrente sanguínea e levá-la para as células de todo o corpo onde será utilizada como energia. Qualquer pessoa pode sofrer desta doença, no entanto a exposição a fatores de risco (explicados aqui) pode aumentar a probabilidade do seu aparecimento”, é explicado no site dos hospitais CUF.

Diabetes tipo 2
Cerca de 90% dos casos de diabetes são classificados como diabetes tipo 2. Este tipo afeta sobretudo pessoas adultas e idosas, com excesso de peso ou obesidade, sedentárias e com estilos de vida pouco saudáveis, e há frequentemente historial familiar.

Diabetes tipo 1
A diabetes tipo 1 é muito menos frequente e resulta essencialmente da destruição súbita e irreversível das células pancreáticas, geralmente por inflamação autoimune. Estes doentes são geralmente adolescentes ou adultos jovens.

Diabetes gestacional
Nas mulheres grávidas, o novo ambiente hormonal, associado a excesso de peso, sedentarismo e alimentação pouco equilibrada, podem produzir um tipo de diabetes próprio da gestação, chamada diabetes gestacional. Geralmente é controlada apenas com dieta e atividade física, mas pode necessitar de tratamento com insulina. Os principais problemas deste tipo de diabetes, quando não controlada, são complicações fetais e do parto.

Foto: D.R.

Impala Instagram


RELACIONADOS