EUA pagam cinco milhões a quem dê informações sobre membros da Al-Qaeda

Os Estados Unidos anunciaram hoje que oferecem uma recompensa financeira a quem forneça informações que permitam localizar três membros da organização terrorista Al-Qaeda.

EUA pagam cinco milhões a quem dê informações sobre membros da Al-Qaeda

EUA pagam cinco milhões a quem dê informações sobre membros da Al-Qaeda

Os Estados Unidos anunciaram hoje que oferecem uma recompensa financeira a quem forneça informações que permitam localizar três membros da organização terrorista Al-Qaeda.

Os Estados Unidos anunciaram esta quinta-feira, 12 de setembro, que oferecem uma recompensa financeira a quem forneça informações que permitam localizar três membros da organização terrorista Al-Qaeda. O Departamento de Estado norte-americano oferece até cinco milhões de dólares (pouco menos de cinco milhões de euros) a quem possa fornecer informações sobre três membros ativos de uma célula da Al-Qaeda na Síria.

LEIA DEPOIS
Luciana Abreu e Yannick Djaló em tribunal: Ele exige ver as filhas, ela reclama pensões

Estados Unidos já pagaram mais de 150 milhões de euros para impedir ataques

Os elementos do grupo Hurras al-Dian são considerados leais e próximos do líder do movimento terrorista, Ayman al-Zawahiri, e aparecem identificados como Abud’Abd al-Karim al-Masri (egípcio), Abud Mahmud (jordano) e Faruq al-Suri (sírio).

A verba da recompensa tem origem no programa estatal «Rewards for Justice» (Recompensas pela Justiça) que foi criado no Departamento de Estado em 1984, tendo já pago mais de 150 milhões de euros por informações que permitiram impedir ataques terroristas ou levar a julgamento, ou à morte, pessoas suspeitas de terrorismo.

Líder da Al-Qaeda pede ataques ao Ocidente no discurso do 11 de Setembro

O líder da Al-Qaeda Ayman al-Zawahri pediu esta quarta-feira, 11 de setembro, aos muçulmanos que ataquem alvos dos Estados Unidos, europeus, israelitas e russos, no dia em que se assinala o 18.º aniversário dos atentados às Torres Gémeas em Nova Iorque. A Associated Press refere que o SITE – Intelligence Group, que rastreia a atividade online de grupos jihadistas, informou que, através de um vídeo, Ayman al-Zawahri, de 68 anos, também critica os «retrocessos» da jihad.

Al-Zawahri refere-se a ex-jihadistas que mudaram de opinião na prisão e consideram os ataques do 11 de setembro inaceitáveis, porque civis inocentes foram prejudicados. «Se você quer que a jihad se concentre apenas em alvos militares, os militares norte-americanos estão presentes em todo o mundo, do leste ao oeste», afirmou o líder da Al-Qaeda, acrescentando que os países «estão repletos de bases americanas, com todos os infiéis e a corrupção que espalham».

LEIA MAIS
Descarga elétrica na origem da morte do piloto em Valongo
Morreu a filha de Eunice Muñoz

 

Impala Instagram


RELACIONADOS