Carta de Trump para o presidente da Turquia: «Não seja tolo!»

O tom informal com que escreveu a carta levou os jornalistas a confirmar a sua autenticidade junto de várias fontes da Casa Branca.

Carta de Trump para o presidente da Turquia: «Não seja tolo!»

Carta de Trump para o presidente da Turquia: «Não seja tolo!»

O tom informal com que escreveu a carta levou os jornalistas a confirmar a sua autenticidade junto de várias fontes da Casa Branca.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, escreveu, a 9 de outubro, uma carta ao presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, que foi entretanto divulgada. Nela, Trump pretende negociar um acordo com o presidente turco para impedir um desastre humanitários no nordeste sírio e pede-lhe para que «não seja um tipo difícil» e «não seja tolo». O tom informal com que escreveu a carta levou os jornalistas a confirmar a sua autenticidade junto de várias fontes da Casa Branca.

LEIA DEPOIS

Previsão do tempo para sexta-feira, 18 de outubro

Trump afirmou que tinha enviado uma carta «muito poderosa» a Erdogan

Trump assegurou esta quarta-feira que tinha enviado uma carta «muito poderosa» a Erdogan, onde o desafia a chegar a um consenso. «Vamos trabalhar num bom negócio! Não quer ser responsável pelo homicídio de milhares de pessoas, e eu não quero ser responsável por destruir a economia turca.»

«A história olhará para si de forma favorável se fizer isto pela via certa e humana. Olhará para si para sempre como o diabo se coisas boas não acontecerem. Não seja um tipo difícil. Não seja tolo!», escreve, assegurando o presidente turco de um telefonema para breve.

Turquia quer afastar as forças curdas do nordeste da Síria

A ofensiva turca visa afastar do nordeste da Síria as forças curdas das Unidades de Proteção Popular (YPG), aliadas do ocidente na luta contra os ‘jihadistas’ do grupo Estado Islâmico (EI), mas consideradas como terroristas pela capital da Turquia, devido às ligações com o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK, proibido na Turquia e classificado de terrorista também pelos Estados Unidos e pela União Europeia). Desde o início da ofensiva turca, pelo menos 104 combatentes curdos e cerca de 60 civis morreram na sequência dos confrontos, segundo o mais recente balanço do Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, afirmou esta semana que a ofensiva turca no norte da Síria vai continuar até que os seus «objetivos sejam atingidos», apesar dos apelos de Washington para que a invasão termine.

Leia a carta na íntegra:

«Sua excelência

Recep Tayyip Erdogan
Presidente da República da Turquia
Ankara

Caro Sr. Presidente:

Vamos trabalhar num bom negócio! Não quer ser responsável pelo homicídio de milhares de pessoas, e eu não quero ser responsável por destruir a economia turca – e serei. Eu já dei um pequeno exemplo a respeito do Pastor [Andrew] Brunson

Trabalhei intensamente para resolver alguns dos seus problemas. Não desiluda o mundo, consegue fazer um ótimo acordo. O general Mazloum está disposto a negociar consigo e disponível para fazer concessões que nunca antes fez. Em anexo segue uma carta confidencial da carta que ele me enviou, acabei de a receber.

A história olhará para si de forma favorável se fizer isto pela via certa e humana. Olhará para si para sempre como o diabo se coisas boas não acontecerem. Não seja um tipo difícil. Não seja tolo!

Ligo-lhe mais tarde.

Cumprimentos»

LEIA MAIS

Mais de 300 mil crianças estão em risco de pobreza em Portugal

Impala Instagram


RELACIONADOS