Bebés com malformação operados ainda dentro do útero

Equipa de 30 médicos do hospital universitário de Londres operam dois bebés com malformação ainda dentro do útero da mãe, semanas antes de nascerem.

Bebés com malformação operados ainda dentro do útero

Bebés com malformação operados ainda dentro do útero

Equipa de 30 médicos do hospital universitário de Londres operam dois bebés com malformação ainda dentro do útero da mãe, semanas antes de nascerem.

Dois bebés com malformação foram operados, semanas antes de nascer, no útero da mãe. Os bebés sofriam de espinha bífida, uma doença que ocorre no primeiro mês de gestação. Segunda a associação portuguesa representante dos portadores desta doença, a espinha bífida ocorre quando algumas vértebras da espinal medula se projetam pela abertura dos ossos. Esta doença pode causar também danos no sistema nervoso central.

Esta foi uma cirurgia inédita no Reino Unido, por ser a primeira vez que um procedimento desta delicadeza é feito. Casos anteriores foram, até então, apenas realizados nos Estados Unidos, Bélgica e Suíça. Normalmente este tipo de procedimento é realizado após o nascimento, devido ao risco de causar parto prematuro. No entanto, quanto mais depressa ocorrer, menor é a probabilidade de se desenvolverem degenerações físicas e de mobilidade.

Como é que esta malformação se manifesta?

Os sintomas podem ser variáveis, mediante do tipo de anomalia. «O diagnóstico mais precoce é feito pela presença de um tufo de cabelo ou de uma mancha na pele no local da malformação espinal», segundo o site da CUF.

O impacto da espinha bífida depende do local e da dimensão da malformação. Se está ou não revestida e quais os nervos envolvidos. Quanto mais elevada for a localização da malformação, maior será a lesão nervosa e a perda de função motora e sensitiva.

LEIA MAIS
É saudável tomar banho todos os dias? Dermatologistas respondem

 

Impala Instagram


RELACIONADOS