Depois de «mais de 50 mil retweets», amigas reencontram-se

Sara Danyao encontrou a amiga, com quem viveu num orfanato, na China, depois de a sua publicação no Twitter ser partilhada mais de 50 mil vezes.

Depois de «mais de 50 mil retweets», amigas reencontram-se

Depois de «mais de 50 mil retweets», amigas reencontram-se

Sara Danyao encontrou a amiga, com quem viveu num orfanato, na China, depois de a sua publicação no Twitter ser partilhada mais de 50 mil vezes.

Sara Danyao, de 18 anos, procurava uma amiga com quem viveu num orfanato, na China, e graças a uma publicação que colocou no Twitter conseguiu reencontrá-la. A jovem conseguiu alcançar o único vínculo que tinha com o passado. As duas jovens chinesas foram adotadas em Espanha há 18 anos e foram precisos «mais de 50 mil retweets» para se reunirem.

«Preciso de encontrar a menina que está à minha direita na foto (eu sou a que está no carrinho). Ela agora deve ter 21-23 anos. Não sei o seu nome e esta é a única foto que tenho. Se és tu que estás na foto, por favor contacta-me. Partilha esta mensagem para chegar até ela», escreveu Sara Danyao no Twitter.

A jovem contou a história que a une à jovem da fotografia: «Partilhámos orfanato em Hubei, China, e adotaram-nos em Wuhan, em maio de 2001. Pelo que os meus pais me contaram, esta menina, durante o processo de adoção, por alguma razão, nunca se separava de mim”, escreveu a jovem.

A relação das duas jovens era muito forte. Segundo os pais adotivos de Sara, a jovem, que é mais velha, ajudava-a a vestir-se, a lavar-se e a comer. «Esta menina até pediu aos meus pais que a adotassem também para que ela pudesse vir comigo. Insistia que tinha de vir comigo porque era a sua responsabilidade”, explica Danyao.

«No dia em que tivemos que nos separar, no aeroporto, a menina no parava de gritar «Danyao» (o meu nome). Acho que não entendem a carga emocional que seria para mim encontrar esta menina. É literalmente a única coisa que tenho e que sei do meu passado, antes dos meus pais me adotarem. Não sei nada dos meus pais biológicos, nem de nenhum parente. Por favor, ajuda-me a encontrá-la.»

A publicação de Sara Danyao fez eco no Twitter e teve mais de 50 mil partilhas. «Depois de 17 anos», Sara reencontrou Alejandra. «Já estamos juntas outra vez», disse.

LEIA MAIS
A vida na casa das gémeas antes de terem matado recém-nascida à facada
Morreu Agnès Varda, a pioneira da «nouvelle vague»

Impala Instagram


RELACIONADOS