Rússia pronta para cooperar com ONU e ajudar civis na Ucrânia

A Rússia está “pronta para cooperar” com as Nações Unidas para “aliviar o sofrimento” das populações civis da Ucrânia, assegurou hoje o ministro dos Negócios Estrangeiros, Serguei Lavrov.

Rússia pronta para cooperar com ONU e ajudar civis na Ucrânia

Rússia pronta para cooperar com ONU e ajudar civis na Ucrânia

A Rússia está “pronta para cooperar” com as Nações Unidas para “aliviar o sofrimento” das populações civis da Ucrânia, assegurou hoje o ministro dos Negócios Estrangeiros, Serguei Lavrov.

“O nosso principal objetivo é proteger as populações civis”, assegurou Lavrov, durante uma conferência de imprensa conjunta realizada em Moscovo com o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres. “Estamos prontos para cooperar com os nossos colegas das Nações Unidas para aliviar o sofrimento das populações civis”, sublinhou. António Guterres pediu hoje um cessar-fogo na Ucrânia “o mais rapidamente possível”, ao chegar à Rússia.

Para ler também
Guterres promete tudo para por fim à guerra e Moscovo valoriza papel da ONU
O secretário-geral da ONU disse hoje ao ministro dos Negócios Estrangeiros russo que a organização fará tudo o possível para “pôr fim à guerra na Ucrânia” e Serguei Lavrov realçou a importância que António Guterres dá ao multilateralismo (… continue a ler aqui)

O secretário-geral da ONU irá agora encontrar-se com o Presidente russo, Vladimir Putin, no contexto da ofensiva russa em curso na Ucrânia. Embora a situação na Ucrânia seja “complexa e haja diferentes interpretações sobre o que está a acontecer” no país, é possível ter um “diálogo sério sobre a melhor forma de trabalhar para minimizar o sofrimento das pessoas”, defendeu Guterres. Após a visita a Moscovo, Guterres irá ser recebido, na quinta-feira, em Kiev, pelo chefe de Estado ucraniano, Volodymyr Zelensky.

Imagens em direto da Guerra na Ucrânia

A Rússia lançou, na madrugada de 24 de fevereiro, uma ofensiva militar na Ucrânia que já matou mais de dois mil civis, segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU), que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior. A guerra causou a fuga de mais de 12 milhões de pessoas, das quais mais de 5,16 milhões para fora do país, ainda de acordo com a organização.

Impala Instagram


RELACIONADOS