Ucrânia: Magnata russo Roman Abramovich participa nas negociações em Istambul

O magnata russo, com nacionalidade israelita e portuguesa, Roman Abramovich participa em Istambul nas negociações entre as delegações da Rússia e Ucrânia sobre o cessar-fogo na guerra em território ucraniano. 

Ucrânia: Magnata russo Roman Abramovich participa nas negociações em Istambul

Ucrânia: Magnata russo Roman Abramovich participa nas negociações em Istambul

O magnata russo, com nacionalidade israelita e portuguesa, Roman Abramovich participa em Istambul nas negociações entre as delegações da Rússia e Ucrânia sobre o cessar-fogo na guerra em território ucraniano. 

O magnata russo, com nacionalidade israelita e portuguesa, Roman Abramovich participa em Istambul nas negociações entre as delegações da Rússia e Ucrânia sobre o cessar-fogo na guerra em território ucraniano.  A estação de televisão russa Rossiya 24 transmitiu imagens em que se vê Abramovich na chegada hoje ao Palácio de Domabahçe, em Istambul, sede das negociações, acompanhando a delegação da Rússia.

O Kremlin declarou hoje que Abramovich, próximo do presidente Vladimir Putin, não é um membro oficial da delegação russa que negoceia com a Ucrânia, mas atua como uma espécie de ligação para “certos contactos” entre Moscou e Kiev. Na sua conferência de imprensa diária, o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, disse que o milionário “não é membro oficial” da delegação russa, mas adiantou que “está hoje em Istambul” com a delegação russa.

Pode também interessar-lhe

Ivan chegou hoje a Dnipro, no leste da Ucrânia, depois de ter estado a viver com a mulher um mês na cave, com medo das explosões e das bombas em Sievierodonetsk, com um coelho numa gaiola e a mesma roupa desde o início da guerra, 24 de fevereiro (…continue a ler aqui)

O jornal Wall Street Journal indicou na semana passada que o Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, pediu ao Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, para não aplicar sanções contra o oligarca russo devido ao envolvimento de Abramovich nas negociações.

No domingo, em entrevista a órgãos de comunicação social independentes russos, Zelensky “não confirmou nem desmentiu” a notícia sobre a não aplicação de sanções contra Abramovich por parte dos Estados Unidos. “Por diversos motivos não posso falar de algumas das nossas conversas privadas (com Joe Biden)”, disse Zelensky.

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, disse no passado domingo que vários empresários russos, incluindo Abramovich, se tinham oferecido para ajudar a Ucrânia. Entretanto, uma outra notícia publicada na segunda-feira pelo Wall Street Journal indicava que, após uma reunião na capital ucraniana no início de março, Roman Abramovich e pelo menos dois membros seniores da equipa de negociadores ucranianos “desenvolveram sintomas” suspeitos de envenenamento. Os sintomas – olhos vermelhos e lacrimejantes, rosto e mãos esfoladas – deixaram de se fazer sentir mais tarde “e as vidas [das pessoas em causa] não estão em perigo”, escreveu o jornal norte-americano.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que matou pelo menos 1.151 civis, incluindo 103 crianças, e feriu 1.824, entre os quais 133 crianças, segundo os mais recentes dados da ONU, que alerta para a probabilidade de o número real de vítimas civis ser muito maior. A guerra provocou a fuga de mais de 10 milhões de pessoas, incluindo mais de 3,8 milhões de refugiados em países vizinhos e quase 6,5 milhões de deslocados internos.

A ONU estima que cerca de 13 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária na Ucrânia. A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Impala Instagram


RELACIONADOS