Realizador condenado a seis anos de prisão por espionagem

Um tribunal do Camboja condenou um realizador australiano a seis anos de prisão por espionagem, num caso em que a defesa e vários grupos de ativistas denunciaram existir “motivações políticas” por parte do regime.

Realizador condenado a seis anos de prisão por espionagem

Realizador condenado a seis anos de prisão por espionagem

Um tribunal do Camboja condenou um realizador australiano a seis anos de prisão por espionagem, num caso em que a defesa e vários grupos de ativistas denunciaram existir “motivações políticas” por parte do regime.

James Ricketson foi detido em julho do ano passado, quando o ‘drone’ (avião não tripulado) que dirigia sobrevoou uma marcha do Partido do Resgate Nacional do Camboja (PRNC), a grande força da oposição dissolvida em novembro do mesmo ano.

Após a breve leitura do acórdão, o australiano de 69 anos regressou à penitenciária de Prey Sar, em Phnom Pen, onde esteve detido nos últimos 14 meses.

LEIA MAIS: Elenco de “Guardiões da Galáxia” sai em defesa de realizador despedido

Segundo a emissora australiana ABC, o juiz considerou que Ricketson aproveitou a sua “atividade documental” para reunir informações que podiam comprometer o país.

Durante o julgamento, a acusação apresentou poucas provas de espionagem e não esclareceu em que país este teria reunido as informações.

O realizador tem 30 dias para recorrer da sentença, num caso em que a defesa diz ter “motivações políticas” devido à alegada proximidade do australiano com alguns líderes do antigo partido da oposição.

A detenção ocorreu antes das autoridades iniciarem uma campanha contra adversários e críticos do partido no poder, que culminaram com a prisão do líder da oposição Kem Sokha, acusado de traição, em setembro, e à dissolução do PRNC, dois meses depois.

O vice-diretor da Human Rights Watch (HRW) na Ásia, Phil Robertson, denunciou o veredicto e descreveu Ricketson como um bode expiatório usado pelo Governo cambojano para justificar a repressão contra a oposição.

“Este julgamento mostra tudo o que há de mau na justiça do Camboja – acusações ridiculamente excessivas, autoridades com poucas ou mesmo nenhuma prova e juízes subordinados às ordens políticas do Governo”, apontou Robertson, em comunicado.

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS