Mais carreiras fluviais suspensas hoje à tarde entre Cacilhas e Lisboa

A Transtejo alertou para novas suspensões, hoje à tarde, de carreiras fluviais entre Cacilhas, em Almada, e o Cais do Sodré, em Lisboa, por falta de recursos humanos operacionais.

Mais carreiras fluviais suspensas hoje à tarde entre Cacilhas e Lisboa

Mais carreiras fluviais suspensas hoje à tarde entre Cacilhas e Lisboa

A Transtejo alertou para novas suspensões, hoje à tarde, de carreiras fluviais entre Cacilhas, em Almada, e o Cais do Sodré, em Lisboa, por falta de recursos humanos operacionais.

A Transtejo alertou para novas suspensões, hoje à tarde, de carreiras fluviais entre Cacilhas, em Almada, e o Cais do Sodré, em Lisboa, por falta de recursos humanos operacionais. Na sua página na internet, a Transtejo Soflusa (TTSL) avisou que, entre Cacilhas e o Cais do Sodré, não serão realizadas as carreiras das 13:35, das 14:05, das 14:35, das 15:05 e das 15:33. No sentido inverso, entre o Cais do Sodré e Lisboa, não serão realizadas as carreiras fluviais das 13:50, das 14:20, das 14:50, das 15:20 e a das 15:47. A suspensão destas carreiras deve-se à “falta de recursos humanos operacionais”, esclareceu a TTSL.

Hoje também está interrompido temporariamente o transporte de veículos entre a Trafaria (Almada) — Porto Brandão – Belém (Lisboa) até às 16:30, por motivos de manutenção. As perturbações dos serviços entre Lisboa e os municípios da margem sul do Tejo, no distrito de Setúbal, servidos por transporte fluvial têm sido frequentes em setembro e outubro, atingindo o Montijo, o Seixal e Cacilhas e Trafaria, em Almada.

Várias carreiras suspensas

A empresa esclareceu que não conseguiu contratar cinco maquinistas para operacionalizar os barcos, tendo sido entretanto convocada uma greve a horas extraordinárias por parte dos trabalhadores. O Governo, a TTSL e os sindicatos que assinaram o acordo de empresa estão num processo negocial para ultrapassar esta greve às horas extraordinárias. Em resposta à Lusa, a TTSL destacou que, enquanto se mantiverem estes constrangimentos, e nas situações em que se encontre totalmente suspensa a ligação fluvial “sem alternativas ao nível da rede de transporte público”, garantirá “alternativa de mobilidade”, para a qual é válido o título de transporte da ligação fluvial suspensa.

Esta alternativa será assegurada através da “ligação fluvial mais próxima” e com o “transporte rodoviário entre terminais fluviais, em horários previamente definidos”. O detalhe sobre as perturbações previstas pode ser consultado no ‘site’ da empresa TTSL em https://ttsl.pt/avisos/. A Transtejo assegura as ligações fluviais entre o Seixal, Montijo, Cacilhas e Trafaria/Porto Brandão, no distrito de Setúbal, e Lisboa, enquanto a Soflusa é responsável por ligar o Barreiro à capital.

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS