Lisboa e Porto melhores municípios para viver, negócios e turismo

Lisboa e Porto são os melhores municípios para viver, para visitar e para fazer negócios, segundo a sétima edição do ‘ranking’ elaborado pela consultora Bloom Consulting.

Lisboa e Porto melhores municípios para viver, negócios e turismo

Lisboa e Porto melhores municípios para viver, negócios e turismo

Lisboa e Porto são os melhores municípios para viver, para visitar e para fazer negócios, segundo a sétima edição do ‘ranking’ elaborado pela consultora Bloom Consulting.

Lisboa e Porto são os melhores municípios para viver, para visitar e para fazer negócios, segundo a sétima edição do ‘ranking’ elaborado pela consultora Bloom Consulting. A consultora elabora anualmente este Bloom Consulting Portugal City Brand Ranking, um estudo sem “qualquer variável qualitativa ou de opinião”, baseando-se “exclusivamente” em dados quantitativos (estatísticas oficiais, pesquisas ‘online’, ‘performance’ de páginas na Internet e redes sociais das autarquias) “que classificam o desempenho das marcas dos 308 municípios portugueses”.

Um algoritmo gera um ‘ranking’ geral que resulta da ponderação de outros três ‘rankings’, que hierarquizam os concelhos em três dimensões: viver, visitar e negócios (atração de investimento). Lisboa e Porto lideram o ‘ranking’ geral deste ano e também os outros três no estudo divulgado pela Bloom Consulting. Na análise dos melhores concelhos para viver, no ‘top 5’ estão, além de Lisboa e Porto, Coimbra, Braga e Viseu. No turismo, os concelhos com melhor classificação são Lisboa, Porto, Funchal, Cascais e Portimão. Nos negócios, Cascais, Vila Nova de Gaia e Coimbra seguem-se a Lisboa e Porto.

No ‘ranking’ geral que leva em consideração todas estas vertentes estão Lisboa, Porto, Cascais, Braga e Coimbra, o mesmo ‘top 5’ do estudo anterior, publicado em 2019. “No ano de 2020 [devido à pandemia da covid-19] optámos por não fazer lançamento da VI edição devido à volatilidade dos dados e das circunstâncias”, escreveu o diretor-geral da Bloom Consulting, Filipe Roquette, no documento hoje divulgado.

Lousã com interesse superior a 100% face a 2019

O relatório do estudo deste ano tem três destaques, todos relacionados com a pandemia: o município da Lousã, a região do Alentejo e o tema da habitação. “A Lousã é um dos municípios que mais se destaca positivamente face a 2019, sendo que o interesse proativo para este município tem especial incidência em tópicos como Praias (+121%), Atrações turísticas (+114%) e Maravilhas naturais (+173%). A procura por estes três temas da dimensão turismo está em linha com a subida a nível nacional das procuras por ‘Turismo rural e sustentável’ que no último ano subiram também 59%”, lê-se no documento.

Já o Alentejo, “foi a única região de Portugal a apresentar um volume de interesse proativo superior ao ano anterior”, o que a consultora diz poder justificar-se por a covid-19 ter levado “muitas pessoas a querer afastar-se de meios urbanos”. Por fim, o estudo registou “um abrandamento claro na procura por temas mais ligados ao turismo” e “a procura por habitação e outros temas ligados à qualidade de vida passou a ter uma preponderância muito especial nesta edição”, sendo que a pandemia “ajudou a trazer mais relevância aos fatores sociais que muitas vezes apareciam num segundo plano”.

Este ano, a consultora fez um estudo específico sobre o impacto da covid-19 “na atração de turismo, investimento e talento” pelos municípios, juntando à análise das diversas variáveis do Consulting Portugal City Brand Ranking inquéritos “a mais de mil perfis-chave” nos 18 distritos nacionais. “É essencial ter em consideração que o futuro não será uma cópia do passado pré-pandemia e que os seus efeitos serão sentidos não só nas indústrias, mas também na personalidade dos públicos-alvo”, lê-se no estudo.

Teletrabalho reúne preferências

Segundo a consultora, “para além da gestão da pandemia, os munícipes de norte a sul do país, mostram uma voz uníssona em relação às novas prioridades [que não eram tão relevantes antes do aparecimento da covid-19] que gostariam de ver implementadas nos seus municípios” e “a primeira prende-se com o acesso a cuidados de saúde de qualidade nos seus municípios, seguindo-se a implementação de programas de segurança e higiene nas escolas e nos postos de trabalho e não massificação dos espaços públicos”.

O estudo concluiu que surgiu uma nova tendência de “êxodo urbano”, com cerca de 73% dos inquiridos a revelarem ainda a vontade de não regressar a um modo de trabalho 100% presencial, e que 75% disse que pretende viajar exclusivamente para destinos nacionais nas próximas férias. Por outro lado, o estudo revelou que a perceção da população em relação à gestão da crise pandémica terá influência na opção de voto da maioria daqueles que pretendem participar nas eleições autárquicas de 26 de setembro.

LEIA AINDA
Acidente na freguesia de Tornada causa morte a ciclista de 59 anos
Acidente na freguesia de Tornada causa morte a ciclista de 59 anos
Um acidente que envolveu um automóvel ligeiro e uma bicicleta fez uma vítima mortal e um ferido ligeiro na manhã desta segunda-feira, 13 de setembro, na estrada entre o Casal Vau (Campo) e Tornada. (… continue a ler aqui)

 

Impala Instagram


RELACIONADOS