Trump diz que Rudy Guiliani testou positivo para a covid-19

O Presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou hoje que o seu advogado pessoal Rudy Giuliani testou positivo para a covid-19, após semanas de viagens pelo país para contestar os resultados das eleições presidenciais norte-americanas e da participação em reuniões sem usar máscara.

Trump diz que Rudy Guiliani testou positivo para a covid-19

Trump diz que Rudy Guiliani testou positivo para a covid-19

O Presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou hoje que o seu advogado pessoal Rudy Giuliani testou positivo para a covid-19, após semanas de viagens pelo país para contestar os resultados das eleições presidenciais norte-americanas e da participação em reuniões sem usar máscara.

O Presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou hoje que o seu advogado pessoal Rudy Giuliani testou positivo para a covid-19, após semanas de viagens pelo país para contestar os resultados das eleições presidenciais norte-americanas e da participação em reuniões sem usar máscara.

“Rudy Giuliani, de longe o melhor presidente de câmara da história de Nova Iorque, que trabalhou incansavelmente para desmascarar as eleições mais corruptas (de longe!) da história dos Estados Unidos, testou positivo para o vírus chinês”, escreveu Donald Trump na rede social Twitter.

Na mesma publicação, o Presidente dos Estados Unidos desejou ao seu advogado rápidas melhoras.

“Fica bom depressa Rudy, nós continuaremos”, escreveu.

Giuliani apareceu hoje cedo na cadeia de televisão Fox News para falar sobre os processos legais que está a interpor em vários estados a favor de Donald Trump.

Os Estados Unidos registaram 2.527 mortos e 229.859 infetados com o novo coronavírus nas últimas 24 horas, um novo recorde diário de casos, segundo a contagem independente da Universidade Johns Hopkins.

Com este balanço, o número de óbitos desde o início da pandemia no país subiu para 281.121 e o de casos para 14.567.529.

O número de mortes excede as estimativas iniciais da Casa Branca, que projetava entre 100 mil e 240 mil óbitos.

O Instituto de Métricas e Avaliação da Saúde da Universidade de Washington estima que até à altura em que Trump deixar a Casa Branca, a 20 de janeiro, 385 mil pessoas terão morrido, com o número a subir para 470 mil a 01 de março.

 LEIA MAIS

Meteorologia: Previsão do tempo para segunda-feira, 7 de dezembro

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS