Covid-19: Pequim levanta restrições

A cidade de Pequim anunciou hoje o levantamento de muitas restrições impostas devido à covid-19, após um mês de receios de confinamento para os 22 milhões de habitantes da capital chinesa.

Covid-19: Pequim levanta restrições

Covid-19: Pequim levanta restrições

A cidade de Pequim anunciou hoje o levantamento de muitas restrições impostas devido à covid-19, após um mês de receios de confinamento para os 22 milhões de habitantes da capital chinesa.

A cidade de Pequim anunciou hoje o levantamento de muitas restrições impostas devido à covid-19, após um mês de receios de confinamento para os 22 milhões de habitantes da capital chinesa. A metrópole enfrentou uma recuperação da pandemia da covid-19 no final de abril com mais de 1.900 casos positivos, um número considerado elevado para a China, que aplica uma política rigorosa de “covid zero”.

Cães podem detetar covid-19 de forma mais eficaz do que testes PCR
Cães treinados detetaram a infeção por covid-19 em 97% dos casos sintomáticos e quase 100% dos casos assintomáticos. Estudo foi conduzido em Paris e já há países que adotaram o método de rastreio nos aeroportos. (… continue a ler aqui)

Para conter o contágio, escolas, lojas não essenciais e locais públicos foram fechados no início de maio, enquanto os restaurantes estavam restritos às vendas em take-away. Os residentes eram testados quase diariamente e encorajados a trabalhar a partir de casa. Após alguma flexibilização nos últimos dias, o município anunciou um regresso gradual dos habitantes de Pequim ao trabalho a partir desta segunda-feira e a reabertura das escolas no dia 13 de junho.

A partir de segunda-feira, os restaurantes poderão voltar a receber os seus clientes e os transportes públicos funcionarão normalmente. Será necessário um teste com menos de 72 horas em locais públicos. Contudo, há ainda dois distritos da capital que vão manter restrições, segundo a governação de Pequim, que relatou 19 casos positivos neste domingo.

A capital segue assim o exemplo de Xangai, cujos 25 milhões de habitantes estiveram praticamente confinados durante os meses de abril e maio e apenas puderam voltar a circular livremente na quarta-feira. Como consequência, as empresas sofreram grandes perdas na sua atividade e o peso da capital económica já está a causar receios de quebra do crescimento da economia chinesa, estimado pelo governo em 5,5% para este ano.

 

Impala Instagram


RELACIONADOS