Frio intenso e cortes de energia já mataram pelo menos 30 pessoas nos EUA

Os cortes de energia no Texas afetam agora menos de um milhão de pessoas, após as redes terem colapsado em várias regiões dos Estados Unidos devido ao frio intenso, que já provocou a morte de pelo menos 30 pessoas.

Frio intenso e cortes de energia já mataram pelo menos 30 pessoas nos EUA

Frio intenso e cortes de energia já mataram pelo menos 30 pessoas nos EUA

Os cortes de energia no Texas afetam agora menos de um milhão de pessoas, após as redes terem colapsado em várias regiões dos Estados Unidos devido ao frio intenso, que já provocou a morte de pelo menos 30 pessoas.

Nos últimos dias, mais de 100 milhões de pessoas no interior dos EUA foram alertadas para o risco de temperaturas extremamente baixas, que chegaram a baixar dos 20 graus Celsius negativos, fazendo aumentar substancialmente o consumo de energia, o que causou perturbações graves no fornecimento de eletricidade. O frio extremo provocou já a morte de pelo menos 30 pessoas, algumas das quais morreram enquanto procuravam abrigar-se das baixas temperaturas.

Na área metropolitana de Houston, Texas, uma família sucumbiu ao monóxido de carbono do tubo de escape do carro na garagem onde se tentava aquecer e uma pessoa morreu depois de as chamas se terem espalhado a partir da lareira na sala de estar. As empresas de distribuição de energia já começaram a resolver os problemas estruturais no abastecimento, mas, hoje, mais de 600.000 residências e empresas no Texas ainda estavam sem eletricidade.

A agência que regula a distribuição energética neste estado do sul dos EUA alertou para a eventualidade de flutuações no fornecimento de eletricidade, ao longo dos próximos dias, mas assegurou que os cortes sucessivos de energia já não se deverão repetir. O frio intenso também está a afetar a distribuição de água e as autoridades do Texas estão a pedir à população para ferver a água das torneiras, antes de a beber, por causa dos danos nas infraestruturas causados pelo congelamento de canos.

O governador republicano do Texas, Greg Abbot, está a culpar a estratégia de aposta em energias renováveis, apontando como causa principal da rutura no abastecimento de energia elétrica o congelamento das eólicas.

Abbot deu hoje uma entrevista televisiva em que chamava a atenção para a necessidade de continuar a apostar na energia produzida por combustíveis fósseis, uma das grandes indústrias do Texas.

Contudo, o Governo federal já desmentiu as declarações do governador, dizendo que a energia eólica é responsável por apenas 07% do fornecimento de eletricidade no Texas e que os problemas de distribuição se prendem apenas com as infraestruturas de distribuição, afetadas pela neve e frio intenso.

Os danos no sistema de energia afetaram vários outros estados, no interior dos EUA, afetando mais de 100 milhões de pessoas, constituindo a mais grave crise de distribuição de eletricidade nos últimos 40 anos, segundo Maria Pope, presidente da empresa General Eletric, em Portland, no Oregon.

O governador do Louisiana, John Edwards, já pediu uma declaração presidencial de emergência, solicitando suprimentos federais em resposta aos prolongados cortes de energia no seu estado.

Na quarta-feira, a vice-Presidente dos EUA, Kamala Harris, dirigiu-se aos milhões de pessoas afetadas com os cortes de energia, dando-lhes alento, durante uma entrevista televisiva.

“Sei que eles não nos podem ver agora, porque estão sem eletricidade, mas o Presidente e eu estamos a pensar neles e esperamos conseguir fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para obter ajuda federal”, disse Kamala Harris.

Impala Instagram


RELACIONADOS