Espanhóis usam cabras e ovelhas para prevenir incêndios

Cerca de 290 cabras e ovelhas pastam na serra de Collserola, Barcelona, para prevenir fogos florestais. A estratégia de usar animais herbívoros para limpar a vegetação e mato também já foi aplicada em Portugal.

Espanhóis usam cabras e ovelhas para prevenir incêndios

Espanhóis usam cabras e ovelhas para prevenir incêndios

Cerca de 290 cabras e ovelhas pastam na serra de Collserola, Barcelona, para prevenir fogos florestais. A estratégia de usar animais herbívoros para limpar a vegetação e mato também já foi aplicada em Portugal.

A onda de calor que se alastra por toda a Europa tem provocado uma série de incêndios florestais. A cidade de Barcelona, Espanha, acaba de adotar uma medida de prevenção curiosa (e que também já foi adotada em Portugal): 290 ovelhas e cabras pastam no Parque Nacional de Collserola para, assim, prevenir a ocorrência de fogos florestais, numa altura em que estes se tornam cada vez mais intensos.

Histórias macabras que escondem os parques de diversão abandonados
Os parques de diversão abandonados podem constituir um cenário perfeito para filmes de terror. Conheça 7 histórias macabras que ditaram o encerramento de famosos parques de atrações (… continue a ler aqui)

O projeto da cidade catalã, que arrancou em abril, tem como principal objetivo a redução do risco de fogos florestais, ao usar os animais para limpar vegetação e mato, de uma forma sustentável e sem recorrer a maquinaria – além de promover a vida rural junto dos habitantes de Barcelona. Além de ajudarem a limpar o mato, os animais também podem levar consigo sementes, ajudando a fertilizar o território enquanto avançam pela terra e protegendo a biodiversidade do parque.

Em Portugal, são os cavalos garranos que ajudam na prevenção dos incêndios

O projeto não é novo. A estratégia segue uma técnica milenar que foi revivida para proteger a região e tem sido usada noutras regiões de Espanha, bem como no resto do mundo. Guillem Canaleta, de uma organização não-governamental chamada Fundação Pau Costa, contou ao The Guardian que as autoridades estão a “recuperar algo que já existia e que estava a desaparecer”. Em Andaluzia, por exemplo, foram usados cerca de 100 mil animais nos últimos 20 anos.

Também em Portugal, o uso de herbívoros para prevenir fogos florestais já foi experimentado. Desde 2006 que as autoridades usam cavalos garranos para prevenir incêndios no vale do rio Côa, na reserva natural de Faia Brava. Este verão, cerca de 300 cavalos contribuem para a prevenção de fogos florestais na serra da Cabreira, em Vieira do Minho. No Canadá, a estratégia é similar, mas com uso de bois e vacas.

Foto: John Bakator on Unsplash

Impala Instagram


RELACIONADOS