YouTube muda tratamento de dados de crianças após multa nos Estados Unidos

O YouTube informou hoje que está a mudar a forma como trata os dados de crianças e também os conteúdos para este público, depois da multa em 155 milhões de euros por violação de proteção de dados nos EUA.

YouTube muda tratamento de dados de crianças após multa nos Estados Unidos

YouTube muda tratamento de dados de crianças após multa nos Estados Unidos

O YouTube informou hoje que está a mudar a forma como trata os dados de crianças e também os conteúdos para este público, depois da multa em 155 milhões de euros por violação de proteção de dados nos EUA.

O YouTube informou hoje que está a mudar a forma como trata os dados de crianças e também os conteúdos para este público, depois da multa em 155 milhões de euros por violação de proteção de dados nos EUA.

LEIA DEPOIS: Mais de um terço de jovens em 30 países vítima de ciberbullying

“Estamos a mudar a forma como tratamos os dados de conteúdos para crianças no YouTube. Daqui a quatro meses, passaremos a tratar os dados de qualquer pessoa que assista a um conteúdo para crianças no YouTube como sendo provenientes de uma criança, independentemente da idade do utilizador”, informa a empresa em comunicado hoje divulgado.

A subsidiária da ‘gigante’ tecnológica Google explica que limitará “a recolha de dados e a utilização em vídeos feitos para crianças apenas ao necessário para apoiar a operação do serviço”.

O YouTube também deixará de transmitir anúncios personalizados inteiramente com base em conteúdos infantis e “alguns recursos deixarão de estar disponíveis nesse tipo de conteúdo, como comentários e notificações”.

O anúncio das novas práticas segue-se à multa em 170 milhões de dólares (cerca de 155 milhões de euros), por violação da lei da proteção de dados para crianças, aplicada à ‘gigante’ tecnológica Google e à sua subsidiária YouTube, nos Estados Unidos.

O YouTube adianta que, para identificar os conteúdos criados para crianças, menores de 13 anos, os próprios criadores dos vídeos terão de informar a empresa quando os conteúdos se enquadrarem nessa categoria.

Além disso, a subsidiária da Google recorrerá a tecnologia específica para encontrar vídeos que visem claramente o público jovem, por exemplo, aqueles que dão destaque a personagens infantis, temas, brinquedos ou jogos. “A responsabilidade é a prioridade número um no YouTube e nada é mais importante do que proteger as crianças e a sua privacidade”, destaca também o YouTube em comunicado.

Segundo o comunicado da comissão de defesa do consumidor norte-americana (Federal Trade Comission — FTC), as tecnológicas são acusadas de reunir dados pessoais de menores indevidamente, sem o consentimento dos pais, e o valor da multa é um valor “recorde”.

Em abril de 2018, 23 organizações de direitos digitais e proteção à criança apresentaram uma queixa na FTC, que acusava a empresa YouTube de reunir informações pessoais de menores, tais como a localização, o dispositivo usado e até números de telefone, sem o conhecimento dos pais e de as usar para permitir publicidade direcionada.

LEIA MAIS

Governo decreta serviços mínimos para a greve dos motoristas que começa sábado

Preço das casas sobe 14,8% no segundo trimestre

Previsão do tempo para quinta-feira

 

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS