Exportações de frutas, legumes e plantas sobem 4,4% para 1.683 ME em 2020

As exportações de frutas, legumes, plantas ornamentais e flores subiram 4,4% em valor para 1.683 milhões de euros em 2020, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística, citados pela Portugal Fresh.

Exportações de frutas, legumes e plantas sobem 4,4% para 1.683 ME em 2020

Exportações de frutas, legumes e plantas sobem 4,4% para 1.683 ME em 2020

As exportações de frutas, legumes, plantas ornamentais e flores subiram 4,4% em valor para 1.683 milhões de euros em 2020, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística, citados pela Portugal Fresh.

“Entre janeiro e dezembro de 2020, a fileira das frutas, legumes, plantas ornamentais e flores cresceu 4,4% em valor face ao mesmo período de 2019, atingindo 1.683 milhões de euros, de acordo com os dados publicados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE)”, indicou, em comunicado, a Portugal Fresh.

Porém, recuaram 0,9% em volume para 1.589 mil toneladas.

Em 2020, o preço por quilo subiu 5,3%, face ao ano anterior.

Espanha continuou a liderar os destinos das exportações portuguesas desta fileira, representando 32,9% do total das vendas, ou seja, 553 milhões de euros.

Segue-se França com 12,8% (216 milhões de euros), os Países Baixos com 10,4% (174 milhões de euros), o Reino Unido com 9,1% (153 milhões de euros) e a Alemanha com 7,1% (119 milhões de euros).

“Só a União Europeia pesa 78% das vendas da fileira ao exterior. Os países terceiros representam 22% das exportações (365 milhões de euros)”, apontou a PortugalFresh – Associação para a Promoção das Frutas, Legumes e Flores de Portugal, que foi constituída em 2010.

O segmento das frutas representou 47% do total das exportações da fileira, mais 1% do que no ano anterior, para 793 milhões de euros, seguido pelos preparados de fruta e legumes, que pesam 28%, também com um aumento homólogo de 1%, para 467 milhões de euros.

Por sua vez, as plantas ornamentais e flores mantiveram uma representação de 6%, o equivalente a 107 milhões de euros.

Já os legumes pesam 19% das exportações da fileira, ou seja, 217 milhões de euros, um recuo de 2% face a 2019.

Na última década, as exportações desta fileira mais do que duplicaram (115%) em valor.

Para o presidente desta associação, Gonçalo Santos Andrade, estes resultados são “muito positivos” para o setor, sobretudo, face à pandemia de covid-19.

“O investimento que tem sido feito na fileira e a aposta dos produtores em modernizar todo o sistema de produção têm possibilitado crescer e melhorar sistematicamente, ao longo dos últimos dez anos, o que faz com a produção de origem portuguesa seja hoje um fornecedor de excelência, tanto para o mercado europeu como para a América e Ásia”, notou.

Gonçalo Santos Andrade sublinhou ainda que a agricultura precisa de acelerar a sua transição digital e continuar a diversificar mercados.

Por outro lado, conforme defendeu, é igualmente necessário continuar a garantir o investimento em tecnologia e inovação, que deve ser acompanhado por “investimento público estratégico em infraestruturas, designadamente os respeitantes à gestão eficiente da água”.

O presidente da Portugal Fresh perspetiva que 2021 seja um ano “com muitos desafios”, como a redução do rendimento das famílias, o que poderá retrair o consumo e, consequentemente, impactar as vendas.

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS