Comida dos hospitais portugueses tem sal a mais

Um estudo feito pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA) concluiu que há elevados teores de sal nas refeições hospitalares e as recomendações nutricionais estabelecidas não são cumpridas para os teores de densidade energética, proteína e sal.

Comida dos hospitais portugueses tem sal a mais

Comida dos hospitais portugueses tem sal a mais

Um estudo feito pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA) concluiu que há elevados teores de sal nas refeições hospitalares e as recomendações nutricionais estabelecidas não são cumpridas para os teores de densidade energética, proteína e sal.

Estudo do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA) conclui que há elevados teores de sal nas refeições hospitalares e as recomendações nutricionais estabelecidas não são cumpridas para os teores de densidade energética e de proteína. O estudo foi feito com base numa amostra de 32 refeições (carne, peixe e vegetariano) ao longo de três anos (2017 a 2019) e concluiu que existe excessivo teor de sal.

LEIA DEPOIS
Orçamento de Estado 2022: PSP desagradada com valor do subsídio de risco

“Diria que alguns dos dados já foram identificados noutros estudos, noutros contextos. Por exemplo, ao nível das refeições escolares, que, por vezes, também identificam valores semelhantes a estes”, afirma ao JN a diretora do Programa Nacional para a Alimentação Saudável da Direção-Geral da Saúde (DGS), Maria João Gregório.

Portugal ingere o dobro do sal recomendado

“A população portuguesa tem uma ingestão de sal que é cerca do dobro da recomendação”, constata Maria João Gregório ainda. Segundo a Organização Mundial de Saúde, não devem ser ultrapassados 5 gramas por dia. Contudo, os estudos apontam para ingestão excessiva de cerca de 7,3 gramas.

LEIA AGORA
Recebe menos de mil euros? IRS Jovem permite poupar 2 mil euros em 5 anos

 

Impala Instagram


RELACIONADOS