Sétima Legião regressa aos palcos em dezembro em Lisboa

A banda Sétima Legião vai voltar aos palcos para dois concertos, em Lisboa, em dezembro, que assinalam os 40 anos do início da carreira do grupo e homenageiam o músico Ricardo Camacho, que morreu em 2018.

Sétima Legião regressa aos palcos em dezembro em Lisboa

Sétima Legião regressa aos palcos em dezembro em Lisboa

A banda Sétima Legião vai voltar aos palcos para dois concertos, em Lisboa, em dezembro, que assinalam os 40 anos do início da carreira do grupo e homenageiam o músico Ricardo Camacho, que morreu em 2018.

A banda Sétima Legião vai voltar aos palcos para dois concertos, em Lisboa, em dezembro. De acordo com a promotora Uguru, os espetáculos estão marcados para 01 e 02 de dezembro na Culturgest, “40 anos depois do arranque da sua particular história que é, justamente, uma das mais celebradas do pop-rock nacional”. “Estes espetáculos servem também para homenagear Ricardo Camacho, produtor e teclista do grupo desaparecido em 2018″, lê-se em comunicado.

Leia depois
Novo filme da Netflix é coreano e está a conquistar o mundo (… continue a ler aqui)

Nestes dois concertos, a Sétima Legião “pretende revisitar os seus mais aplaudidos clássicos e dar nova vida a temas como ‘Sete Mares’ ou ‘Por Quem Não Esqueci’, sucessos de grande impacto que ainda hoje têm lugar garantido na programação de muitas rádios”.

Neste regresso aos palcos, a Pedro Oliveira (voz e guitarra), Rodrigo Leão (baixo e teclas), Nuno Cruz (bateria, percussão), Gabriel Gomes (acordeão), Paulo Marinho (gaita de foles, flautas), Paulo Abelho (percussão, ‘samplers’) e Francisco Menezes (letras, coros), junta-se João Euleutério, “experimentado músico que tem corrido mundo como parte da banda de Rodrigo Leão”, nos teclados.

O grupo foi criado por Rodrigo Leão, Pedro Oliveira e Nuno Cruz em 1982, numa altura em se vivia um momento de expansão do rock português, com nomes como Rui Veloso, UHF, GNR e Xutos & Pontapés. A sonoridade da Sétima Legião denunciava influências da música pop rock inglesa, em particular o ambiente de Manchester e de bandas como Joy Divison. Os primeiros temas ainda foram escritos em inglês, mas foi com as letras em português, quase todas de Francisco Ribeiro de Menezes, com a introdução de bombos e da gaita de foles, que conquistaram uma marca na música portuguesa.

No total, o grupo editou seis álbuns, de “A um deus desconhecido” (1984) a “Sexto Sentido” (1999), e nunca anunciou oficialmente um fim, com os músicos a tocarem informalmente ao longo dos anos. Em 2012, assinalaram os 30 anos de existência do grupo com uma série de concertos. Em 2017, já Ricardo Camacho estava doente, voltaram a reunir-se num concerto no Liceu Passos Manuel, em Lisboa, “para matar saudades”, recordou na altura Rodrigo Leão. Os músicos da Sétima Legião estão ligados a projetos como Madredeus, Gaiteiros de Lisboa e Cindi Kat.

 

Impala Instagram


RELACIONADOS