Presidente alemão afirma que o país vive uma “crise de confiança”

O Presidente da Alemanha afirma que o país está a passar por uma “crise de confiança” e pediu aos alemães que “se unissem”, enquanto enfrentam uma segunda Páscoa com restrições, devido à pandemia, insatisfeitas com a resposta do Governo.

Presidente alemão afirma que o país vive uma

Presidente alemão afirma que o país vive uma “crise de confiança”

O Presidente da Alemanha afirma que o país está a passar por uma “crise de confiança” e pediu aos alemães que “se unissem”, enquanto enfrentam uma segunda Páscoa com restrições, devido à pandemia, insatisfeitas com a resposta do Governo.

Num discurso que será transmitido hoje, Frank-Walter Steinmeier admitiu que “houve erros” em relação aos testes, soluções digitais e vacinas.

“Confiança numa democracia repousa sobre um entendimento muito frágil entre os cidadãos e o Estado: ‘Estado, faça a sua parte, eu, cidadão, faço a minha'”, disse o Chefe de Estado alemão acrescentando: “Sei que vós, cidadãos, fazeis a vossa parte nesta crise histórica. [Os cidadãos] fizeram muito e ficaram sem muito'”.

“A vossa expectativa para o Governo é: ‘Organizem-se'”, disse.

Steinmeier afirma que o país oscilou da autossatisfação com a redução do número de infeções no início da pandemia para o excessivo pessimismo atualmente.

O Presidente pede aos alemães que “se unam” e deixem de lado a “indignação constante pelos outros ou pelas pessoas em cargos importantes”.

Segundo o Presidente, as entregas de vacinas vão aumentar bastante nas próximas semanas. A Europa está a aumentar a sua capacidade de produção e os clínicos gerais vão juntar-se ao esforço de vacinação.

“A verdade é que não somos campeões mundiais, mas também não somos um fracasso”, afirma Steinmeier.

A Alemanha, juntamente com a União Europeia como um todo, está atrás dos Estados Unidos e do Reino Unido na velocidade do esforço de vacinação, entre uma obtenção mais lenta de vacinas e reclamações sobre burocracia e papelada excessiva.

Os números das sondagens para o partido conservador da chanceler Angela Merkel caíram, e o país enfrenta uma eleição nacional em 26 de setembro. Merkel não se recandidata.

 

 

LEIA AGORA
Covid-19: Pressão sobre hospitais agrava-se em França com mais de 37 mil casos diários
Acompanhe em permanência todas as notícias e os comunicados da Direção-Geral da Saúde e o Ministério da Saúde sobre a pandemia de covid-19 e a vacinação AQUI

Impala Instagram


RELACIONADOS