Espanhóis PichiAvo inauguram mostra em Lisboa que inclui obra criada com Vhils

A dupla de artistas espanhóis PichiAvo, cujo trabalho resulta de uma mistura de ‘graffiti’ com arte clássica, inaugura na sexta-feira em Lisboa “Used to Be”, exposição que inclui uma peça criada em colaboração com o português Vhils.

Espanhóis PichiAvo inauguram mostra em Lisboa que inclui obra criada com Vhils

Espanhóis PichiAvo inauguram mostra em Lisboa que inclui obra criada com Vhils

A dupla de artistas espanhóis PichiAvo, cujo trabalho resulta de uma mistura de ‘graffiti’ com arte clássica, inaugura na sexta-feira em Lisboa “Used to Be”, exposição que inclui uma peça criada em colaboração com o português Vhils.

Em “Used to Be”, a segunda mostra dos espanhóis na galeria Underdogs, “a dupla constituída pelos artistas espanhóis Pichi e Avo volta a tecer uma reflexão assente no encontro entre as linguagens do graffiti contemporâneo e da arte clássica greco-romana”, através de um conjunto de obras “criadas especialmente para a exposição”, entre as quais “uma peça única criada em colaboração” com Alexandre Farto (Vhils). “Através de um corpo de trabalho inteiramente novo, a exposição sintetiza e materializa questões ligadas ao uso do espaço público, a efemeridade, o acaso e a integralidade da obra de arte sob a forma de uma encenação que coloca o passado em diálogo com o presente”, lê-se no texto de apresentação da mostra.

Leia depois
Já pode comprar uma aldeia com 44 casas por apenas 260 mil euros (… continue a ler aqui)

A exposição, que ocupa o espaço principal da galeria, inclui três conjuntos de peças: “fragmentos de parede com pinturas, fragmentos de parede com desenhos (ambos sobre placas de reboco em gesso, uma técnica nova que abre um novo capítulo na obra dos artistas) e bustos fragmentados.

As obras, bem como a forma como estão expostas, “procuram sugerir uma operação de transposição para a galeria de artefactos encontrados num contexto arqueológico — em que cada um exibe a inevitável corrupção ditada pela passagem do tempo”. “Um resgate simulado, com vista à sua preservação para o futuro”, refere a galeria.

Pichi e Avo tornaram-se uma dupla em 2007, mas antes disso já se dedicavam ao ‘graffiti’ em separado. Avo estudou Design Industrial, e Pichi, Belas Artes. Em 2018, a dupla teve patente na galeria Underdogs a exposição “Versus”, que incluiu a pintura de um mural na parede lateral de um prédio de quatro andares na Calçada de Santa Apolónia, onde está representado Poseidon (deus do mar na mitologia grega). A exposição que agora inauguram também inclui a elaboração de uma intervenção artística no exterior, no âmbito do projeto de arte pública da Underdogs.

Também na sexta-feira, mas no espaço cápsula da galeria, é inaugurada “Renascimento Street”, exposição do artista português Onun Trigueiros, do coletivo Unidigrazz. Nesta mostra, composta por uma série de novos trabalhos, encontra-se “uma proposta exploratória que o artista tem vindo a desenvolver em torno da azulejaria”.

“Assente num ato de atualização e personalização de um suporte com longa presença e destaque na cultura portuguesa, este exercício, ao invés de retratar feitos e personagens históricos, confere-lhe uma nova vida com momentos do quotidiano que rodeia o artista — sobretudo na rua, na Linha de Sintra, periferia de Lisboa”, lê-se no texto de apresentação.

Em “Renascimento Street”, as peças estão divididas em três grupos, “que representam as diferentes fases processuais no percurso criativo do artista, apresentados em diálogo uns com os outros: uma série de esboços e desenhos sobre papel, um painel de azulejos reais e um conjunto de painéis de ‘falsos’ azulejos em MDF”.

As duas exposições, que têm entrada livre, estarão patentes até 30 de dezembro. A inauguração, marcada para as 18:00 de sexta-feira conta com a presença dos artistas. No sábado, às 16:00 haverá uma visita guiada, a cargo da equipa curatorial da Underdogs, no âmbito do Lisbon Art Weekend.

 

Impala Instagram


RELACIONADOS