Estacionamento gratuito em Lisboa: EMEL poderá tarifar Colégio Militar e Fonte Nova

A Junta de Freguesia de Benfica, em Lisboa, vai fazer uma consulta para conhecer a posição dos moradores relativamente à entrada da EMEL na zona envolvente da avenida do Colégio Militar e do Fonte Nova, foi hoje anunciado.

Estacionamento gratuito em Lisboa: EMEL poderá tarifar Colégio Militar e Fonte Nova

Estacionamento gratuito em Lisboa: EMEL poderá tarifar Colégio Militar e Fonte Nova

A Junta de Freguesia de Benfica, em Lisboa, vai fazer uma consulta para conhecer a posição dos moradores relativamente à entrada da EMEL na zona envolvente da avenida do Colégio Militar e do Fonte Nova, foi hoje anunciado.

A consulta vai decorrer na sexta-feira e no sábado, das 10:00 às 22:30, no centro comercial Fonte Nova. A votação estará disponível para os moradores com mais de 18 anos daquela zona, que abrange sete ruas. Em declarações à agência Lusa, fonte da EMEL — Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa disse que a entidade é alheia a este processo, notando, no entanto, que “à partida não entra nunca sem a vontade da junta de freguesia”.

LEIA MAIS: Alerta | Tem a aplicação da EMEL? Verifique o saldo

A presidente da Junta de Freguesia de Benfica, Inês Drummond (PS), explicou que desde 2008 que “a EMEL tem no seu plano de exploração a possibilidade de entrar nesta zona”, não tendo a autarquia dado o seu parecer positivo até hoje.

Contudo, “quer Carnide, quer São Domingos de Benfica, portanto toda a zona envolvente, já está tarifada”, pelo que “há uma grande pressão de estacionamento” que “tem dificultado muito a vida aos moradores”, considerou Inês Drummond.

“Nesse sentido, e porque a junta entende que de facto há ali uma grande pressão de estacionamento e de procura de estacionamento, e que isto já está a comprometer a qualidade de vida dos moradores, achamos que está na altura de fazermos esta consulta e, em função do resultado (…), conversarmos ou não com a EMEL, no sentido de ver a viabilidade de a EMEL poder entrar nesta zona, protegendo melhor os moradores”, destacou a autarca.

A presidente da junta de freguesia notou ainda que as pessoas estacionam as viaturas nesta zona para irem trabalhar, “fazendo com que não haja rotação de estacionamento”, uma vez que Benfica “é das poucas freguesias na cidade que ainda não está tarifada”.

“Sempre dissemos que para darmos o nosso parecer favorável à entrada da EMEL em qualquer zona de Benfica (…) precisávamos que houvesse um consenso entre os moradores”, reiterou.

Entretanto, em comunicado o PSD de Benfica “considera inaceitável e uma vergonha que a presidente da Junta de Freguesia de Benfica” marque a Assembleia de Freguesia, destinada à discussão da presença, ou não, da EMEL em Benfica para sexta-feira à noite, ou seja, “a meio da ‘consulta popular'”.

“Esta atitude, absolutamente inaceitável por parte do executivo, perante os fregueses de Benfica, inquina logo à partida todo este processo”, referem os sociais-democratas.

O PSD quer que “os residentes em Benfica tenham direito ao estacionamento gratuito em toda a freguesia de Benfica e mais uma zona à sua escolha na cidade de Lisboa”, que não tenham de pagar dístico, que haja um aumento de estacionamentos na freguesia e que “a EMEL proporcione um método de registo para fins de atribuição do dístico de residente, mais prático e menos demorado, designadamente por via eletrónica”.

O PEV entregou hoje na Assembleia Municipal de Lisboa um requerimento em que exige “esclarecimentos sobre a expansão do estacionamento da cidade”, alegando que “muitas queixas dos moradores prendem-se com o facto da implementação do estacionamento em muitos bairros não ter sido devidamente divulgada nos locais devidos, nem com a duração apropriada, feita sem que os residentes sejam informados ou ouvidos, e quando ouvidos, que as suas sugestões não sejam consideradas”.

VEJA AINDA: É cliente Galp? Há multas caso se atrase no pagamento da fatura

Impala Instagram


RELACIONADOS