[Atualização] Autoridades escavam buraco para salvar criança de dois anos que num poço

Um menino, com apenas dois anos, caiu num poço com mais de cem metros em Málaga, perto do monumento ‘Tumba Del Moro’. No terreno estão várias equipas de resgate.

[Atualização] Autoridades escavam buraco para salvar criança de dois anos que num poço

[Atualização] Autoridades escavam buraco para salvar criança de dois anos que num poço

Um menino, com apenas dois anos, caiu num poço com mais de cem metros em Málaga, perto do monumento ‘Tumba Del Moro’. No terreno estão várias equipas de resgate.

Julen, uma criança de dois anos caiu, este domingo, dia 13 de janeiro, num poço com mais de 100 metros de profundidade e 25 de diâmetro, em Espanha.  Segundo informações dadas pelo Centro de Coordenação de Emergências ‘112 Andaluzia’, as equipas de resgate estiveram toda a noite no local mas ainda não conseguiram alcançar o fundo do mesmo.

LEIA MAIS: Previsão do tempo para terça-feira, 15 de janeiro de 2019

De acordo com o jornal La Vanguardia, desde as 7h00 de hoje (6h00 em Lisboa) que está a ser escavado um buraca lateral a fim de se construir um «túnel horizontal» para resgatar o menor, que se encontra desaparecido há mais de 40 horas.

A referida publicação ainda acrescenta que dentro do poço já existe uma câmara robotizada com luz própria numa tentativa de se identificar a criança. No entanto, ainda não há sinais do menino.

«A operação de resgate é muito complexa do ponto de vista técnico», explicou esta manhã a subdelegada do Governo de Málaga, María Gámez.

Julen, que passeava com os pais no local turístico ‘Tumba del Moro’, um monumento turístico na zona da Andaluzia, caiu quando brincava com o primo de um ano e meio num buraco desprotegido e sem qualquer tipo de sinalização. O buraco, segundo as últimas informações, servia para prospecção e buscas de água na serra andaluza.

No local estão elementos das urgências da Andaluzia, Bombeiros, Protecção Civil e a Equipa de Resgate e Intervenção de Montanha (EREIM) de Álora e Granada.

Os trabalhos de busca prolongaram-se durante toda a noite e prosseguem esta segunda-feira.

Os bombeiros já entubaram o buraco de 110 metros de profundidade e 25 centímetros de largura, uma vez que já houve pequenos desabamentos. O robot com câmara só conseguiu chegar aos 80 metros de profundidade porque encontrou um tampão de terra húmida. Aí, encontraram uma bolsa com brinquedos que o menino levaria no momento em que caiu.

Bernardo Moltó, porta-voz da Guardia Civil, avançou que estão três planos em cima da mesa: extrair terra do buraco, cavar um segundo poço paralelo ou escavar a céu aberto o buraco em que a criança está.

Aitor Soler, responsável pela unidade especial de emergência e resposta imediata da comunidade de Madrid, já veio dizer que há um ponto a favor do menino: as crianças, ao contrário dos adultos “não se dão conta da situação extrema em que se encontram”, pelo que são mais flexíveis e menos débeis.

Já caiu a noite mas as equipas preparam-se agora para uma segunda noite de trabalho. A situação em que se encontra o pequeno Julen depende de uma série de factores como a temperatura do poço, os níveis de humidade, a estreitura do buraco e os possíveis ferimentos devido à queda. Além disso, não se sabe ao certo o que está no fundo do buraco: ar ou água.

A Guardia Civil não determina prazos para a operação e para além das autoridades, estão presentes empresas privadas como a que detém o robot usado no poço.

Segundo o El País, os pais do pequeno Julen já perderam um filho de apenas três anos na primavera de 2017.  A família está a receber ajuda psicológica no local.

Em atualização

Impala Instagram


RELACIONADOS