Covid-19: Presidente da Guiné-Bissau revela que “quase morreu” da doença

O Presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, revelou hoje que esteve infetado pelo novo coronavírus e que “quase morreu” da doença, que o deixou com sequelas, embora esteja neste momento de “boa saúde”.

Covid-19: Presidente da Guiné-Bissau revela que

Covid-19: Presidente da Guiné-Bissau revela que “quase morreu” da doença

O Presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, revelou hoje que esteve infetado pelo novo coronavírus e que “quase morreu” da doença, que o deixou com sequelas, embora esteja neste momento de “boa saúde”.

O Presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, revelou hoje que esteve infetado pelo novo coronavírus e que “quase morreu” da doença, que o deixou com sequelas, embora esteja neste momento de “boa saúde”.

Umaro Sissoco Embaló fez a revelação ao chegar ao Aeroporto Internacional Osvaldo Vieira, de Bissau, vindo de Dacar, no Senegal, para onde se tinha deslocado para controlo médico.

“Há um ano passei o coronavírus, que é uma doença que não se deve esconder, é normal”, afirmou o chefe de Estado, acrescentando que sofreu um acidente vascular “pulmonar”.

“Foi uma coisa muito séria, podia ter morrido, ainda há sequelas, mas não há nada de inquietante pois tudo está normal comigo”, observou Sissoco Embaló.

O Presidente guineense afirmou que desde aquela altura se que tem deslocado ao estrangeiro para controlo de rotina, o que fazia em França, mas ultimamente decidiu passar a fazer no Senegal.

Foi a primeira vez que Umaro Sissoco Embaló abordou perante a comunicação social o facto de ter estado infetado pelo novo coronavírus, ainda que regulamente apareça em campanhas de sensibilização, através da Televisão da Guiné-Bissau, a exortar a população sobre as formas de evitar o contágio da doença.

A Guiné-Bissau registou um total acumulado de 2.869 casos, incluindo 46 vítimas mortais devido à covid-19.

Na sequência do aumento de casos que se tem registado desde o início do ano, o Governo guineense decidiu decretar o estado de calamidade até 23 de fevereiro, encerrar os estabelecimentos escolares até à mesma data e cancelar as celebrações do carnaval.

A pandemia da doença covid-19 provocou pelo menos 2.368.493 mortos no mundo, resultantes de mais de 107,7 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus (SARS-Cov-2) detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

 

Impala Instagram


RELACIONADOS